A MODA E O CINEMA: O filme O DIABO VESTE PRADA.



 O cinema e a moda é um casamento dos mais felizes no universo popular. Enquanto estilistas usufruem da fonte de Hollywood em suas passarelas, filmes visitam os salões da moda para contar suas histórias. No ano de 2006 esses dois universos se encontraram no filme O Diabo veste Prada.

 O filme é baseado no livro homônimo da jornalista Lauren Weisberger, inspirado nos três anos em que ela trabalhou como assistente de Anna Wintour, a lendária diretora de redação da Revista Vogue americana e um dos nomes mais poderosos da indústria da moda.

 O mundo da moda é um dos poucos onde os jornalistas estão no topo da pirâmide de importância. Dentro dessa organização, construiu-se uma espécie de mito moderno: as intocáveis Editoras de Moda. São elas as responsáveis pela análise do trabalho semestral dos estilistas e, mais que os departamentos de marketing das grandes maisons, cuidam da divulgação (ou da execração pública) do que aparece nas passarelas. São elas quem ditam o que vai ou não entrar no guarda-roupa de quem está disposto a pagar. Para um estilista é fundamental estar nas graças das editoras de moda.

 O filme mostra o mundo da moda pelos olhos de uma revista de moda. Na trama, a recém-formada Andréa Sachs (Anne Hathaway), que sonha em ser escritora e colaborar em revistas como a New Yorker, aceita o emprego pelo qual milhões de garotas morreriam, e se torna a faz tudo de Miranda (Meryl Streep), poderosa editora-chefa da maior revista de moda dos Estados Unidos, a fictícia Runway.

 O Diabo veste Prada, além de abordar o tema, nos faz perceber que a moda está muito mais presente em nossas vidas do que pensávamos. Como é relatado em uma das cenas do filme, em que Andréa Sachs sorri desdenhando a escolha da montagem do look para um editorial. Nesta cena, Miranda então discorre sobre a origem do azul da malha de lã que Andy está usando, fala que aquela cor se chama “cerúleo”, e Yves Saint Laurent, após muitas pesquisas, a desenvolveu exclusivamente para uma coleção. Claro que depois disso, muitos outros estilistas já a utilizaram, e com o passar do tempo ela foi parar em roupas nos mercados de massa, e agora Andy a está usando, provavelmente comprada numa liquidação.

Comentários