DESTAQUE

GASTRONOMIA: Cerveja Blumenau é eleita a Cervejaria do Ano no Brasil Beer Cup com 23 medalhas

Imagem
Foram seis ouros, 13 pratas e quatro bronzes. Cerimônia aconteceu na noite de sexta-feira (26) A Cerveja Blumenau é a Cervejaria do Ano na categoria grande porte no Brasil Beer Cup 2021. A divulgação do resultado do concurso aconteceu na noite de sexta-feira (26), em Florianópolis (SC). A marca conquistou 23 medalhas, sendo seis de ouro, 13 de prata e quatro de bronze.   As três linhas de produto foram premiadas. Na Mestres do Tempo, que celebra bebidas maturadas em barris na adega da cervejaria, foram nove medalhas, sendo três de ouro: Mestres do Tempo Lambic #1 (no estilo Belgian-Style Lambic), Mestres do Tempo Gueuze #1 (no estilo Belgian-Style Gueuze) e Mestres do Tempo Maracujá Negro (no estilo Mixed-Culture Brett Beer).  A Macuca Imperial Stout levou o ouro no estilo British-Style Imperial Stout e teve quatro edições especiais também premiadas: prata com Tropicalente (no estilo Chilli Pepper Beer) e Pé-de-Moleque (no estilo Field Beer) e bronze com a Bala de Coco (no es

MACROTENDÊNCIAS: Os sinais precursores das tendências mundiais.



 Macrotendências são uma espécie de dogma do comportamento humano, incontestáveis verdades reproduzidas à exaustão com o intuito de estabelecer um mapa indicativo do melhor caminho até o cerne do pensamento de cada um de nós. O problema é que assim como ajudam a prever reações, as macrotendências têm como efeito colateral a capacidade de criar costumes, invertendo sua relação natural de causa e conseqüência.

 Um exemplo prático se observa durante a década de noventa, quando ocorreu um “boom” da publicidade. As oportunidades profissionais se multiplicavam em ritmo acelerado e de repente todo mundo sonhava em passar os dias pensando em frases geniais. As peças publicitárias passaram a atrair o interesse do cidadão comum, ganharam o status de arte, e assim surgiram os primeiros programas televisivos sobre o tema. Na década seguinte o que se viu foi um mercado saturado e um enorme contingente de publicitários com diploma nas mãos, mas sem emprego.

 Se os anos noventa foram da publicidade, os anos 2000, definitivamente, foi da gastronomia. Foi a profissão da moda. Era impossível assistir uma hora de tv na faixa de horário de sua preferência e não se deparar com alguma referência culinária. Fora as atrações inteiramente dedicadas ao tema, também nos programas de variedades, de entrevistas e até nos jornalísticos, ainda hoje há sempre espaço para uma receitinha que seja.

 Nos shopping centers, nos grandes magazines, nas lojas de rua, nos camelôs, por todos os lugares multiplicaram-se utensílios de cozinha, dos mais variados tipos em vasta gama de cores. Um sem fim de panelas, caçarolas, pinças, pincéis, conchas, espátulas, abridores, fatiadores, moedores, raladores e muitos outros, com sufixos variados e funções ultra-específicas.

 Tudo isso pode ter começado a partir da “Cozinha Maravilhosa da Ofélia”… Esse programa foi responsável por catequizar donas de casa durante décadas, tendo como bíblia livros de receitas triviais, porém de muito bom gosto. Ofélia provava ser possível impressionar os paladares mais aguçados utilizando apenas o que se encontra dentro de qualquer geladeira. Nos tempos atuais o aprimoramento da fórmula “tele-cozinha” sofisticou os cardápios e encareceu a conta do mercado.