Criação e Desenvolvimento de Produto

A linguagem do design de produtos se manifesta através do projeto, que se faz necessário para articular cadeias de informações destinadas à fabricação em larga escala por meio de tecnologias industriais.

O designer necessita de um método para o projeto, livre de preconceitos artísticos, utiliza matéria-prima e técnica que o permitam criar produtos adequados às funções prática, estética e psicológica a que se destinam.

Projeto e metodologia são aspectos distintos. Projeto é uma das etapas do método de trabalho do designer.

O desenvolvimento de produtos consiste em vários estágios sucessivos de um processo, partindo do conceito (idéia) até o cliente, com a finalidade de desenvolver produtos com características que atendam às necessidades dos clientes.

O processo de desenvolvimento de produtos decorre numa alternância entre passos de trabalho e decisão e pode ser entendido como uma transformação de informações.

Até a década de 60, predominava a metodologia tradicional, onde cada departamento executava certa etapa do trabalho e somente depois de terminado, enviava-o para outro departamento. Atualmente, a metodologia simultânea reúne fornecedores, clientes, equipes internas de desenvolvimento e de processo num trabalho de parceria, numa abordagem flexível, omitindo etapas do desenvolvimento, poupando tempo e aumentando a eficácia.

Características da metodologia simultânea:

• procura obstinada pela qualidade;

• contribuição simultânea e equilibrada da equipe da empresa, fornecedores e clientes;

• opção por manufatura inovadora;

• entrosamento e coordenação das equipes internas e externas;

• clientes e fornecedores fortes para melhorar saúde financeira;

• ambiente propício para facilitar e estimular a criatividade de cada um.

Projeto de produto está inserido no processo de tomadas de decisões denominado Desenvolvimento de produtos, com as fases simultâneas, transformando conceitos (idéias/abstrato) em produtos (elemento físico/concreto) a partir da identificação de oportunidades de mercado, de uso e de fabricação.

O objetivo do projeto de produtos é a satisfação das necessidades e expectativas atuais e futuras dos consumidores. Os principais pontos do projeto são:

• objetiva satisfazer as necessidades dos consumidores;

• aplica-se tanto a produtos como a processos;

• é um processo de transformação;

• inicia com um conceito e termina na tradução desse conceito em uma especificação de algo que possa ser produzido.

O projeto é o resultado de uma especificação minuciosa do produto, obtida através da coleta de informações determinantes do produto, tais como:

• seu conceito global (especificando a forma, a função e o objetivo geral do projeto e os benefícios que trará);

• seu pacote (especificar todo o conjunto de produtos e serviços individuais que são necessários para preparar e apoiar o conceito);

• o processo pelo qual o pacote será criado (especificando como os vários produtos e serviços individuais no pacote devem ser produzidos).

A atividade de projeto pode ser dividida em cinco etapas:

1. Geração do Conceito.

Fornecimento de idéias para novos produtos, a partir de informações coletadas junto a fontes internas, ou seja, sugestões obtidas através do contato com os clientes pelo departamento de vendas ou as necessidades dos consumidores detectadas pelo departamento de pesquisa & desenvolvimento (produtos elaborados pela concorrência, pesquisas de mercado e as idéias dos clientes).

Para que a idéia transforme-se num conceito é necessário que seja entendida, realizada e vendida por todos os membros da organização. O conceito engloba não só a idéia, mas também sua forma (expressão global do produto), função (maneira como o produto funciona), objetivo (satisfação das necessidades do consumidor pelo produto) e benefícios (vantagens que o produto trará aos consumidores).

2. Triagem dos Conceitos.

O propósito de avaliá-los quanto a sua viabilidade (investimentos financeiros e gerenciais necessários), aceitabilidade (retorno em termos de desempenho do produto e desempenho financeiro) e vulnerabilidade (riscos que a empresa está sujeita se o produto for um fracasso). Nessa fase, os diversos conceitos gerados, a partir das idéias de fontes internas e externas, são analisados sob diferentes aspectos e critérios para a seleção das melhores propostas. O setor de marketing realiza a sua seleção com base no conhecimento do mercado, o departamento de produção analisa a viabilidade dos novos conceitos e a possibilidade de produzi-los. O cálculo das conseqüências financeiras do novo produto, através da reunião dos dados levantados pelos departamentos de marketing e produção, é analisado pelo setor de finanças.

3. Projeto Preliminar.

Consiste da especificação dos produtos e serviços componentes do pacote; definição dos processos para gerar o pacote.

4. Avaliação e Melhoria do Projeto.

Objetiva o aperfeiçoamento do produto antes que seja introduzido no mercado.

5. Prototipagem / Projeto Final.

Consiste em transformar o projeto melhorado em um protótipo que possa ser testado.

Os sistemas CAD proporcionam a capacidade auxiliada por computador para criar e modificar desenhos de produtos. A vantagem mais óbvia dos sistemas de CAD é sua capacidade para armazenar e recuperar dados de projeto rapidamente, bem como sua capacidade para manipular detalhes de projeto pode aumentar consideravelmente a produtividade da atividade de projeto.

De uma maneira mais simplificada, o desenvolvimento de produtos é subdividido nas seguintes etapas:

• Estudo da proposta de desenvolvimento;

• Concepção;

• Projeto preliminar;

• Projeto detalhado.

• O processo de desenvolvimento de novos produtos pode ainda ser dividido em oito partes:

1. Geração de idéias, que é a procura sistemática, ordenada e não casual por idéias para produtos novos;

2. Seleção de idéias, fase que consiste em identificar, entre as idéias elaboradas, as mais indicadas para o tipo de negócio da empresa;

3. Desenvolvimento de conceitos, que é a conversão em uma versão detalhada dos elementos significativos para o consumidor, de toda a idéia selecionada na etapa anterior;

4. Desenvolvimento de estratégia de marketing consiste em três fases distintas:

• Mercado-alvo, posicionamento do produto, metas de vendas, de participação no mercado e de lucros,

• Preço planejado do produto, distribuição e marketing,

• Planejamento de vendas a longo prazo, metas de lucros e a estratégia de marketing mix;

5. Análise comercial avalia a atratividade comercial do produto, compreendendo a avaliação das características específicas dos produtos, em termos competitivos e dos processos utilizados pela concorrência para fabricar seus produtos. A análise da vendabilidade envolve todas as características do produto que incitam a predisposição dos clientes em comprá-los;

6. Desenvolvimento de produto é a etapa do desenvolvimento do protótipo do produto, estimulando e satisfazendo as necessidades dos clientes, dentro dos prazos e custos previstos;

7. Teste de marketing realiza a introdução do produto em situações reais de mercado;

8. Comercialização fornece à empresa as informações necessárias para que possa decidir sobre o lançamento de um novo produto.

O design caracteriza-se por partir das intuições mais alucinadas e conseguir levar à prática sonhos, que permitam produzir objetos úteis e bonitos, desenvolvidos com base em imagens ou elementos com determinados reflexos, cores, toques e grafismos, mesmo sem estabelecer qualquer ligação com o produto a ser produzido.

É imprescindível que o designer se auxilie de vários métodos de desenvolvimento de criatividade e esses métodos fornecerão os dados, as idéias e os motivos que, ligados às possibilidades e limitações da produção industrias, servirão de base para a geração de novos produtos.

As fontes de criatividade podem ser de várias ordens:

• Fontes individuais: fundamenta-se na pesquisa, de caráter psicológico, das preferências formais e colorísticas de cada pessoa.

• Fontes naturais: partindo de informações como folhas, flores, cortes estratégicos em frutas ou da observação microscópica de elementos naturais e vegetais.

• Fontes culturais: pode-se desenvolver padrões ou cores a partir do estudo de obras de artes (pintura, escultura, gravura), da arquitetura, da produção artística de civilizações primitivas ou de períodos históricos.

• Fontes abstratas: a partir de formas abstratas ou geométricas, dispostas em módulos e combinadas entre si, pode-se desenvolver novas estruturas para objetos.

A criação e o desenvolvimento do produto de moda compreende a observação, a análise e a síntese quantitativa e qualitativa das necessidades de determinado segmento de mercado; e a transformação dessas necessidades em um produto de moda. Coleção é um conjunto de produtos, com harmonia do ponto de vista estético ou comercial, cuja fabricação e entrega são previstas para determinadas épocas do ano.

Em comparação a outros produtos de consumo, e considerando a complexidade e a fragmentação da cadeia têxtil, os produtos de moda são os que demoram mais tempo a chegar ao consumidor, com constantes e periódicas inovações.

Não é suficiente um designer de moda possuir intuição e criatividade. É preciso que todos os profissionais envolvidos no processo de desenvolvimento de produto tenham consciência dos seguintes princípios, vitais como informações para o início do projeto:

• Os objetivos gerais da empresa;

• Os limites do mercado da empresa e os desdobramentos previsíveis por categoria de artigo;

• As vantagens e limitações do maquinário;

• Um cronograma para as atividades.

O desenvolvimento do produto de moda compreende as seguintes fases:

1. Geração do conceito: compreende a análise das coleções anteriores e o estabelecimento da direção da próxima.

2. Triagem: o produto é analisado quanto a sua elaboração e à sua adequação. É nesta fase que também é definido o tema da moda.

3. Projeto preliminar: corresponde aos esboços dos modelos e à escolha de cores, formas, tecidos, aviamentos, componentes, acessórios e etiquetas.

4. Avaliação e melhoramento: o desenvolvimento do desenho técnico, da modelagem e da ficha-técnica.

5. Prototipagem e projeto final: a peça-piloto é desenvolvida, e aprovada ou não, desenvolvimento da embalagem e a produção de materiais para divulgação (catálogos e fotos).

Ao analisar um produto quanto à sua elaboração, deve-se considerar três pontos importantes:

• Objeto de inspiração – um ponto de partida, uma idéia, um estímulo para o estilista ter condições de desenhar e configurar a coleção.

• Contemporaneidade da forma – a atualidade é o principal aspecto a ser considerado no produto. Com habilidade, deve-se decodificar, transformar e tornar contemporâneo as formas e estilos que marcaram épocas através da história da moda.

• Estética – a noção do belo quanto ao estilo, forma, cores, estampas e aviamentos.

Na análise do produto quanto à adequação, deve-se considerar a funcionalidade e os aspectos comercial e cultural do produto. Os produtos de moda devem ser desenvolvidos com o objetivo de garantir conforto, de possibilitar movimentos e de adequar-se ao local onde devem ser usados (cidade, praia, campo).

O projeto do produto de moda é fundamentado nas seguintes etapas:

1. Coleta de informações sobre moda. Coleta-se todos os referenciais de moda (idéias, modelos, tecidos, padronagens, modelagens) que serão utilizados na próxima coleção de moda.

2. Definição do tema. É o conceito geral da coleção. Deverá refletir a tendência da estação, estar de acordo com a filosofia da empresa e atingir as necessidades do consumidor.

3. Esboços dos modelos. O profissional pode transpor a sua idéia para o papel através de croquis (desenhos à mão-livre) ou através da utilização do sistema CAD.

4. Definição dos modelos. Através de um comitê formado por Designer e executivos das áreas de vendas, produção e marketing. A análise técnica comercial tem maiores possibilidades de garantir ao produto final correspondência às expectativas do mercado e da empresa.

Comentários