'Til D Do Us Apart: Outono-inverno 2024 da Diesel celebra o casamento nada tradicional de Christine Quinn

Imagem
Foto: Divulgação A Diesel convida você para sua campanha outono-inverno 2024, "Til D do us part". Imaginada como uma reviravolta irônica em um casamento tradicional – com foco principal no jeans, celebrado em todas as suas formas criativas, expressivas e sexy – a campanha é a mais recente na colaboração visual contínua entre o diretor criativo Glenn Martens e o diretor de arte Christopher Simmonds . No papel de fotógrafo de casamento, está Nick Waplington , narrando com ironia e êxtase todos os eventos do dia especial – a preparação do casamento, a cerimônia e a festa pós-casamento.   A noiva não está envergonhada. Ela é interpretada pela autora, modelo, atriz e vilã ex-estrela do reality show de sucesso global da Netflix, "Selling Sunset", Christine Quinn . Para seu casamento em Diesel , a magnata do setor imobiliário usa um vestido jeans azul desbotado com rosetas no decote e nos ombros. A noiva impôs um código de vestimenta rígido: cada convidado

Especialista dá dicas sobre os impactos do uso constante do salto alto


Coordenador do curso de Fisioterapia da Faculdade Anhanguera afirma que é possível aliar conforto e beleza sem prejudicar a estrutura corporal


Quem não dispensa um sapato alto certamente já ouviu críticas quanto ao uso constante do salto e os males que pode causar à estrutura corporal. Isso porque, a altura do calçado altera a angulação da coluna, exigindo maior equilíbrio no caminhar. Mas, será que é preciso eliminar esse acessório elegante do guarda-roupa para manter a saúde da estrutura corporal?

 

Ciro Sena, coordenador do curso de Fisioterapeuta, da Faculdade Anhanguera, explica que o salto não é um mal para a coluna. "O problema não é o salto, mas a altura, o formato e o tempo de uso. Estes são, sem dúvida, fatores que colaboram para disfunções na coluna vertebral. É essencial escolher sapatos de salto que sejam confortáveis, com uma altura adequada e uma boa sustentação para os pés. O uso de palmilhas ortopédicas ou almofadas de gel também pode ajudar a distribuir a pressão nos pés de forma mais equilibrada".

 

Um artigo publicado no Brazilian Journal em 2021, avaliou o impacto do uso dos calçados com salto em mulheres com idade entre 18 e 35 anos. Os estudos descrevem que o início do uso de calçados com saltos ocorre na pré-adolescência com altura em torno de 2,5 cm, evoluindo para saltos predominantemente altos (13,5 cm) aos 23 anos de idade, mantendo-se até aos 30 anos, quando começam a reduzir a altura do salto em busca de maior conforto. Cerca de 57% do peso corporal é distribuído sobre região posterior do pé e 43% sobre região anterior, sendo esses valores alterados de acordo com o tipo de calçado e o grau de elevação do salto desencadeando disfunções musculoesqueléticas.

 

O uso de salto provoca a elevação do calcanhar e, com a inclinação do corpo para a frente, a distribuição do peso se concentra no joelho e força a lombar, o que pode gerar dores. Os músculos do calcanhar também ficam menos flexíveis, tendo em vista que podem ser comprimidos. "As dores nas articulações da coluna, pernas e pés que podem estar relacionadas aos sapatos devem ser observadas quando iniciam, por exemplo, após um longo dia em pé (acima de 6 horas) ou após uma longa caminhada. Se a dor persistir por mais de uma semana mesmo com a troca de calçado, é hora de procurar um especialista médico ou fisioterapeuta que avaliará a causa do desconforto e dará o diagnóstico e tratamento adequado", alerta Ciro.

 

O especialista destaca que a ausência total de salto também pode causar a dor, mesmo que em proporção menor, se comparado ao salto alto. O formato "rasteira" não amortece o impacto durante a caminhada e acaba levando ao desgaste nas cartilagens dos tornozelos, joelhos, quadris e lombar. O ideal é que não sejam utilizados por muito tempo ou para caminhadas longas.

 

Qual o calçado ideal? 


Aliar conforto e beleza é possível, afirma a especialista. "É recomendável que o salto adequado tenha até 5 centímetros de altura e, de preferência, largo - o que gera maior estabilidade. O modelo deve dar apoio para o arco plantar (a curva dos pés), não deve comprimir, nem ficar largo demais. A moderação e o cuidado com a postura, além do fortalecimento muscular adequado, são fundamentais para minimizar os impactos negativos do uso de salto alto.", completa.

 

Algumas disfunções podem surgir devido ao uso dos sapatos inadequados. "Fascite plantar, lombalgia, encurtamento muscular do tríceps sural (músculo da panturrilha), agravamento do joanete e alterações posturais compensatórias, entre outras", alerta o coordenador. Em casos de dor já identificada, a dica é realizar fortalecimento e alongamentos musculares constantemente sob orientação de um profissional capacitado.

 

CLIQUE AQUI E FAÇA
O CADASTRO DO SEU NEGÓCIO !



SIGA NAS REDES SOCIAIS




VEJA TAMBÉM:

CURIOSIDADES: Viralizou! Conheça Rayssa Buq, fenômeno das redes sociais

Na onda do tenniscore: cerveja oficial de Wimbledon, Stella Artois lança jaqueta exclusiva com a DOD Alfaiataria

Zanir Furtado apresenta preview da coleção Pantanal em almoço exclusivo

Geová Rodrigues lança coleção cápsula em pop-up em São Paulo

LG abre pré-venda do Styler, seu closet inteligente

Maria Klaumann é capa da revista americana V Magazine

Inverno pede meia e muitas botas! Como compor um look seguindo as tendências da estação

Coleção 2Essential Pre-Summer

Algumas dicas para aderir à tendência #TennisCore adotada por Thássia Naves e Zendaya

Lupo é reconhecida como uma das Melhores Franquias do Brasil