Estilo Brasileiro, a consolidação de nossa moda própria.


Com o maior número de correspondentes internacionais, a temporada verão 2001 marcou a entrada num novo tempo da moda brasileira. A afluência dos veículos internacionais naquela estação fez com que, de repente, a cultura brasileira virasse “tendência” e os “temas” brasileiros inspirassem os estilistas. Houve um número recorde de desfiles (89), incluindo-se no circuito, além de São Paulo, as capitais Rio e Belo Horizonte. No Morumbi Fashion Brasil, criaram-se um dia para moda masculina e outro para a moda praia, na tentativa de confirmar esse segmento como um dos principais focos externos da produção nacional.

Por fim, foi a temporada em que a mídia e o público deram um basta à cultura da cópia. A partir do momento em que as peças internacionais já estão à venda nas lojas de luxo do Rio e de São Paulo, em que a mídia faz correr informação de moda nos jornais, nas revistas e na Internet e em que os próprios editores estrangeiros estão aqui como testemunha, não há mais espaço para que os criadores brasileiros façam aquilo que o mundo todo faz (e que as raízes colonizadas de nosso país legitimaram): o plagio. A moda made in Brazil vai, dentro do possível, fincando pé na autenticidade e encontrando a sua cara.

Para tentar consolidar a temporada brasileira, saiu de cena o Morumbi Fashion Brasil e entra a São Paulo Fashion Week. A primeira edição do evento, com novo nome, acontece em janeiro de 2000, com as coleções de inverno. A idéia é também desconectar a dinâmica de shopping a cultura de moda no país, algo que os jornalistas internacionais não entendiam. Ainda para tentar agradar ao mercado global, há uma intenção de unificar as semanas de lançamentos do Rio e de São Paulo, orientando o verão para o Rio e o inverno para São Paulo. São planos do diretor Paulo Borges, a serem concretizados na temporada de verão 2003.

Entramos no século 21 como um mercado propício para a moda e devemos definir o que seria um estilo brasileiro. Ele deve estar menos na utilização de materiais e inspirações da cultura brasileira e mais numa base que abarque as próprias contradições do país: o uso da manufatura associada à tecnologia (como, por exemplo, nos vestidos de Walter Rodrigues feitos com as rendeiras do Piauí, trabalhando com Lycra e renda); o artesanato de apelo global (Lino Villaventura); a sensualidade inerente ao corpo dos brasileiros; e, principalmente, um olhar brasileiro. Num mercado internacional unificado, é esse olhar, fragmentado, pós-moderno, sexy, que pode fazer com que o país dê uma contribuição relevante em escala internacional.

Há tempos, o Brasil desponta no mundo com sua moda inovadora e cheia de lindos detalhes. E os estilistas mais famosos do Brasil estão pelo mundo também, levando no nome do Brasil até as grandes capitais da moda, como Milão, Paris e Nova York.

Ninguém pode deixar de falar de famosos estilistas do Brasil de renome, como Alexandre Herchcovitch, Carlos Miele e outros. Estes gênios da moda têm conquistados pessoas de todo o mundo pela ousadia nos cortes e nos tecidos usados em seus modelos.

Eles estão no ranking dos melhores estilistas do Brasil por ser sucesso na semanas de moda mundo afora, e também da semanas de moda nacionais. Eventos que fazem os holofotes mundiais fixar no que há de inovador no mundo da moda.

As suas roupas acompanham as tendências e o estilo urbano de homens e mulheres de todo o mundo. E daí vem o sucesso destes nomes no cenário mundial, na questão de desenho e confecções de lindas roupas.

Versatilidade é outra marca destes famosos estilistas brasileiros. As suas combinações são ricas e cheias de glamour, que conferem mais elegância e estilo às mulheres que hora desejam ser clássicas, hora querem ser sérias, e em outros momentos despojadas. E é pela virtude de conhecer o dinamismo e a mobilidade de estilos que estes nomes têm se destacado.

Aqui no Brasil, principalmente em São Paulo, há lojas oficiais destes incríveis estilistas que orgulham tanto o Brasil, com suas peças maravilhosas e seu jeito tão descolado de ver a moda no corpo de homens e mulheres. Acompanhe através das próximas postagens a trajetória dos nossos maiores nomes da moda brasileira.

Postagens mais visitadas deste blog

MARCAS e ESTILISTAS: Paco Rabanne, o inventor da armadura dos anos 60.