MARCAS e ESTILISTAS: Burberry, a aristocrática marca inglesa.


 O xadrez mais famoso do mundo aparece em biquínis, sungas, maiôs, bonés, cintos, gravatas, bolsas e outros acessórios. Para quem não conhece a aristocrática inglesa BURBERRY, uma boa introdução, é saber que a marca é responsável pelo desenvolvimento da gabardine. É a marca que saiu da chuva para os desfiles de moda no segmento de luxo e conquistou consumidores elegantes em todas as partes do mundo.

A história

 Tudo começou em 1856, quando Thomas Burberry com apenas 21 anos abriu uma pequena loja de roupas em Basingstoke, Hampshire, na Inglaterra. O jovem aprendiz de tecelão se preocupava muito com a qualidade de suas peças, que ganharam a confiança dos ingleses e transformaram sua loja em um grande empório em menos de 20 anos. A inovação veio com a criação da gabardine em 1880, um tecido impermeável, respirável e super resistente para dias de chuva, que virou matéria-prima de capas de chuva e da indumentária de exploradores e esportistas. O tecido impermeável, macio e chique caiu perfeitamente bem sobre a chuvosa Inglaterra e ainda como opção para o lazer no campo e no mar, tão comum entre a aristocracia da época. A invenção seria patenteada em 1888. Pouco depois, em 1891, com o nome de Thomas Burberry & Sons a empresa inaugurou uma nova loja na região de West End em Londres. Devido á praticidade da gabardine, em 1895, Thomas foi chamado pelo exército britânico para desenvolver um casaco para os oficiais, que seria o antecessor do trench coat (casaco de trincheira). Era o surgimento da famosa capa de chuva, adaptada ao estilo militar.


 Em 1911, equipado com casacos desenvolvidos pela BURBERRY, o explorador norueguês Roald Amundsen se tornou o primeiro homem a cruzar o Pólo Norte. Pouco depois, em 1914, a marca foi comissionada pelo escritório de guerra para adaptar o antigo casaco dos oficiais para combate. Adicionou eqaulettes e argolas em forma de “D”, e ali nascia o verdadeiro trench coat, um casaco extremamente quente e resistente. Nos anos 20, o tecido xadrez (bege, preto, vermelho e branco), introduzido em 1924 e logo depois patenteado, que é marca registrada da BURBERRY, foi criado e usado no forro desses casacos. O trench coat, forrado com tecido xadrez, ganhou as ruas, se atrelando cada vez mais a um conceito de elegância, que vestiu de políticos a estrelas de cinema, como quando foi utilizado pelos atores Humphrey Bogart e Ingrid Bergman no filme Casablanca. Em razão da importância da marca no mercado britânico (e mundial), em 1955, a BURBERRY foi condecorada com uma Royal Warrant (uma menção honrosa dada a comerciantes e marcas), pela majestade Rainha Elisabeth II. Também neste ano, a marca foi comprada pelo grupo Great Universal Stores (GUS).


 A marca começou sua internacionalização somente na década de 70, quando uma loja âncora foi aberta em Manhattan. Mas nem tudo foi glamour na história da tradicional marca britânica. Na segunda metade do século XX, a marca em si ficou perdida no acelerado mundinho fashion e relacionada a um público acima de 50 anos. A clientela da marca BURBERRY dividia-se entre velhinhas de bochechas rosadas e turistas japoneses de passagem pelo Reino Unido. As lojas mais sofisticadas nem sequer tinham estoque dos seus produtos e a empresa parecia condenada a uma caretice eterna. Mas, a reviravolta começou em 1997 quando a empresa GUS (que detém a maior parte das ações da BURBERRY) convidou a americana Rose Marie Bravo, presidente da tradicional loja de departamentos Saks Fifth Avenue, para ser a principal executiva da marca. A partir dali, se iniciou o processo de criação de uma nova imagem: uma BURBERRY fashion. Uma de suas principais providências foi recrutar Roberto Menichetti, ex-estilista de Jil Sander para comandar a criação das novas coleções da marca britânica.

 Em 1999, ele desenvolveu uma linha de vestuário chamada BURBERRY PRORSUM (mesmo nome que aparece na bandeira do símbolo da marca), que possuía produtos com um valor um pouco mais caro, misturando estampas e cores, sobrepondo peças, embaralhando o clássico com o novo. Outra providência da executiva foi contratar o fotógrafo Mario Testino para cuidar das campanhas publicitárias e recrutar Kate Moss, a modelo que tem a imagem mais valiosa do mundo da moda, para ser a garota-propaganda. Resultado: sem perder os tradicionais compradores, a faixa etária do público mudou de 50 para 30 anos. Ou melhor, se expandiu: agrada de avós aos netos e também à quarta geração da família, já que a marca começou a desenvolver sua linha infantil e baby. Mas o time só ficou completo em 2000, com a chegada do estilista britânico Christopher Bailey, vindo do Grupo Gucci.

 Nas últimas coleções, o estilista introduziu visuais mais casuais, adicionando um fulgor boêmio à herança de design da famosa marca britânica. Contrabalançar a tradição da marca com uma estética moderna foi essencial para a consolidação da BURBERRY. É verdade que as roupas dos desfiles vendem pouco, mas serve de inspiração para as linhas efetivamente rentáveis, como a BURBERRY LONDON, coleção mais extensa e popular, que não existia antes de Rose Marie assumir a presidência da empresa, assim como bolsas, óculos de sol, sapatos, lingeries sensuais, linha infantil e até cobertor para cachorros. Além disso, linha de perfumes, jeans, camisaria e básicos produzem visuais irreverentes.

 O grande mérito da dupla Rose Marie e Bailey foi pegar um produto empoeirado, mas com pedigree, sacudi-lo e reinventá-lo em uma linguagem jovem e moderna – sem perder um pingo sequer da elegância britânica. O resultado: o xadrez mais famoso do mundo, agora aparece conectado a figuras como Kate Moss, Madonna, Liam Galagher, vocalista do Oasis, além da atriz Emma Watson, que foi modelo da BURBERRY por um bom tempo, e devido ao seu sucesso nos filmes Harry Potter influenciou os mais jovens a se interessar pela marca britânica. Em 2005 a marca britânica iniciou vendas através de seu comércio eletrônico nos Estados Unidos. No ano seguinte disponibilizou as vendas online para o Reino Unido e em 2007 para toda a Europa. Recentemente a marca voltou a estar em evidência: a bolsa Knight Bag, em couro preto, salpicada de metal na superfície e fecho lateral com chave já foi vista nos braços de Cameron Diaz, Jessica Alba e da modelo britânica Agyness Deyn, se transformando em objeto de desejo das ricas e famosas.


A linha do tempo

1910

● Lançamento da linha feminina de roupas.

1967

● Lançamento de uma linha de guarda-chuvas com a tradicional estampa xadrez.

1981

● Lançamento da linha de produtos de banheiro.

1988

● Lançamento da coleção THOMAS BURBERRY, com peças que custavam cerca de 30% mais barato que a linhas normais da marca.

1991

● Lançamento de seus primeiros perfumes.

1997

● Lançamento do perfume feminino BURBERRY WEEKEND.

2000

● Lançamento do perfume BURBERRY TOUCH.

2005

● Lançamento do perfume BURBERRY BRIT for MEN.

● Lançamento da linha de roupas e acessórios para golfe.

● Lançamento da BURBERRY DOG COLLECTION, uma pequena e sofisticada linha de roupas e acessórios para cachorros.

2006

● Lançamento da fragrância BURBERRY LONDON WOMAN, inspirada na cidade de Londres, presente até na composição do perfume, com as rosas inglesas.

● Lançamento da BURBERRY ICONS, acessórios desenhados pelo diretor criativo Christopher Bailey em comemoração aos 150 anos da marca.

2007

● Lançamento da sua primeira coleção de óculos.

2008

● Lançamento do BURBERRY the BEAT, a nova fragrância da marca para homens. O perfume gerou US$ 30 milhões durante o seu primeiro ano de vendas somente nos Estados Unidos.

2009

● Lançamento do BURBERRY BRIT, uma linha de jeans e roupas casuais direcionadas para um público jovem, que inaugurou suas primeiras lojas próprias em Nova York.

2010

● Lançamento da BURBERRY BEAUTY, nova linha de maquiagem da marca composta por 96 produtos entre bases, pós, sombras e batons feitos para serem usados em qualquer lugar, a qualquer momento. As modernas embalagens seguem a funcionalidade do casaco ícone da grife e têm fechos magnéticos.

● Lançamento do perfume BURBERRY SPORT, nas versões feminina e masculina


FICHA TÉCNICA

Quem: BURBERRY PRORSUM

Fundador: Thomas Burberry

Quando: 1856

Onde: Basingstoke, Inglaterra

Designer: Christopher Bailey

História: Tudo começou em 1856 quando Thomas Burberry, então com 21 anos, resolveu abrir uma loja de roupas. Aprendiz de tecelão, se preocupava muito com a qualidade de suas peças, que ganharam a confiança dos ingleses e transformaram sua loja em um grande empório em menos de 20 anos. A inovação veio com a criação de um tecido impermeável, respirável e super resistente para dias de chuva, criado em 1880, o gabardine. Os casacos feitos com este tecido foram um sucesso de vendas, até o exército britânico adotou a moda. Tomas criou um modelo primário em 1895 e o trench coat em 1914. Ambos foram vestidos pela primeira vez em guerras. Em 1901 foi criado o logotipo equestre da marca, onde a palavra em latim Prorsum (adiante, ou para frente) aparece pela primeira vez junto ao nome da marca. O xadrez Burberry é marca registrada e foi criado por volta de 1920, fazendo as vezes de forro para os casacos modelo trench coat. A empresa foi vendida nos anos 1950 e perdeu um pouco de sua identidade, mas não foi esquecida, ainda aparecia nos guarda-roupas de homens e mulheres de meia idade. Há cerca de 10 anos, decidiram revolucionar a cara da Burberry para rejuvenescer a marca e torná-la mais fashion. Kate Moss foi contratada para a campanha publicitária, novas linhas foram criadas, como a Burberry London, que é o segmento mais conhecido e rentável da Burberry até hoje, sob a direção de Christopher Bailey, que trouxe sua experiência em marcas como Gucci e Donna Karam para revitalizar a Burberry.

Postagens mais visitadas deste blog

MARCAS e ESTILISTAS: Paco Rabanne, o inventor da armadura dos anos 60.