DESIGN: uma breve história da moda.


 
Século XIX

 No século XIX, há a transição do mundo antigo para a modernidade. O Neoclássico resumiu-se ao estilo diretório – uma continuação do estilo revolucionário e inspirado no modelo da República Romana e do Império Napoleônico. O Neoclássico dá lugar ao Romântico que busca respostas tanto no passado quanto no futuro.

 
 No Neo-Rococó, as formas do Rococó retornam adaptadas, principalmente para o guarda-roupa feminino. Esse período, de aproximadamente 25 anos, é marcado pela utilização da crinolina, a enorme armação de arame das saias. A silhueta de uma mulher da nobreza adota quase uma forma de meia esfera. Mais uma vez, a maneira de se vestir identifica a condição social que se tem, a começar pela grande quantidade de matéria-prima utilizada para confeccionar este tipo de roupa.

 
 Por volta de 1850, a hegemonia do terno com gravata e uma sobriedade de cores passam a caracterizar a indumentária masculina. A fantasia e a decoração eram reservadas às roupas das mulheres, que não trabalhavam.     Nesse momento nota-se o trabalho influenciando o vestuário. Quem trabalhava, o homem, precisava de roupas confortáveis. A mulher, por sua vez, exibia o poder econômico do homem: ela “veste” o que o dinheiro do seu marido pode comprar.

Postagens mais visitadas deste blog

Estilo Brasileiro, Zuzu Angel misturava seu estilo à temas regionais e folclóricos

Estilo Brasileiro, Valdemar Iódice desenvolve uma moda jovem imprimindo personalidade em sua grife

Estilo Brasileiro, Vera Arruda desenvolvia um trabalho tipicamente brasileiro