Qualidade na Criação e Desenvolvimento do Produto de Moda

As características que orientam a qualidade do produto de moda começam na definição e análise das matérias-primas (fibras, fios, tecidos), passando pelas fases de criação, desenvolvimento, confecção, acabamento e sua relação com o consumidor, no uso diário.

A qualidade pode ser desdobrada em categorias, com base em cinco abordagens:

1. Abordagem transcendental: a qualidade é vista como um sinônimo de excelência inata.

2. Abordagem baseada em manufatura: a qualidade corresponde a produtos isentos de erros ou produzidos e entregues conforme forem projetados.

3. Abordagem baseada no usuário: a qualidade implícita na adequação do produto ao seu propósito.

4. Abordagem baseada no produto: a qualidade é um conjunto mensurável e preciso de características que são requeridas para satisfazer o consumidor.

5. Abordagem baseada no valor: a qualidade é conceituada em termos da percepção custo versus preço final.

Produtos com qualidade superior causam um grande efeito sobre as vendas, garantindo melhores preços e uma boa receita de vendas. Como características de qualidade pode-se destacar os seguintes itens:

• Funcionalidade: refere-se ao desempenho de uso e aspectos inerentes ao produto;

• Aparência: inclui o aspecto estético, visual, sensorial, sonoro ou olfativo do produto;

• Confiabilidade: consiste no desempenho do produto ao longo do tempo médio.

• Durabilidade: é a vida útil do produto, com modificações e consertos ocasionais;

• Recuperação: baseia-se na solução de problemas do produto com facilidade;

• Contato: pode incluir a empatia e o conhecimento de contato, pessoa a pessoa.

O controle da qualidade, desde o planejamento e desenvolvimento do produto, pode ser fracionado em seis etapas seqüenciais:

1. Definições das características de qualidade do produto;

2. Definição da medida de cada característica;

3. Estabelecimento de padrões de qualidade para cada característica de qualidade;

4. Controle da qualidade em relação aos padrões estabelecidos anteriormente;

5. Detectação e correção das causas da baixa qualidade;

6. Continuação permanente de melhoria.

A qualidade no produto de moda é dividida em cinco fatores principais:

1. Qualidade Estética: fator que envolve os aspectos de pesquisa e criação de moda, coordenação de cores, elaboração de texturas, formas, padrões e o aspecto visual do produto;

2. Qualidade Onerosa: fator fundamental que analisa a matéria-prima, a escolha de determinado fio, da composição (natural, artificial, sintética ou mista), a análise das fibras e suas variações.

3. Qualidade Conceitual: cada tecido ou peça de roupa tem função específica e deve adaptar-se ao uso final, verificando resistência à tração, fricção, formação de pilling (bolinhas), cores firmes e resistentes à luz e estabilidade dimensional (não deforma, não encolhe, não estica e não enruga).

4. Qualidade de Produção: consiste no estudo prévio das técnicas e acompanhamento dos processos de produção, realizando planejamento e controle de qualidade. Os gerentes de produção decidem de que forma as características de qualidade serão medidas, o estabelecimento do padrão de qualidade aceitável e a identificação dos pontos críticos de produtos, serviços ou processos para atender às especificações do projeto. Existem dois tipos de checagens para conferir a qualidade:

• O controle estatístico de processo preocupa em checar um produto ou serviço durante a sua criação e os problemas podem ser identificados e retificados;

• A amostragem de aceitação tem como finalidade a aceitação ou rejeição de todo um lote de produtos com base em uma amostra.

5. Qualidade Comercial: considera a apresentação do produto acabado, prazo de garantia, lançamento do produto, serviço pós-venda (entrega e assistência ao consumidor) e o preço.

O design dá forma à qualidade vaga denominada satisfação do produto, que pode ser sintetizada em termos de valor de mercado e inovação.

O produto de moda não possui somente a função de revestir e proteger o corpo, é o resultado do equilíbrio ou desequilíbrio de funções concebidas no sistema triádico:

• função pragmática quando tem adequação a sua finalidade, como exemplo para obter um bom resultado, atletas utilizam roupas de performance, com formas e tecidos inteligentes;

• função social ou presentativa, traduzida como objeto de representação social, com a finalidade de transmitir prestígio e status social;

• função estética pode-se citar os sapatos plataforma de 20 cm de altura

Através da pesquisa faz-se uma análise de correntes de estilo internacionais e nacionais em bureaux de style, forecast book (cadernos de perspectivas das correntes mundiais de moda, analisam o atual mercado consumidor e apontam as principais linhas que irão influenciar o segmento de moda quanto a estilos, cores, formas ou matérias-primas), revistas especializadas na área e visitas a mais importantes feiras de moda nacionais (Fenit, Fenatec, Couromoda e outras)e internacionais (Première Vision, Expofil e outras).

É nesta fase também que se escolhe imagens relacionadas com os temas, captando as cores, texturas, possíveis formas de roupas, idéias de materiais e o clima dessas imagens, aplicando esses conceitos como idéias para a criação. Reúnem-se todos os elementos comuns (temas, cores, formas, materiais) e analisa sua utilização, em sub-grupos diferenciados para o desenvolvendo de ambiências (painel de imagens, elementos visuais e gráficos dos temas).

A maioria das empresas se constitui como empresas de pequeno porte e o responsável pelo desenvolvimento de produto pertence à família proprietária da empresa, o que justifica o desenvolvimento de pequenas coleções mais versáteis, em velocidade com as informações no setor e em função do desenvolvimento de coleções private label (nome dado quando uma indústria fabrica para outra indústria ou rede de varejo sem o uso da própria marca, mas com a marca da empresa contratante), exigindo constantes pesquisas e novas linhas de produtos.

Além de qualidades como criatividade e intuição, um bom designer de moda deve possuir, além de formação em moda em curso superior, de especialização ou técnico na área, conhecimento tecnológico e cultural aliado a uma metodologia eficaz de trabalho, bem como um grande percentual de ética, humildade e espírito corporativo.

A competitividade crescente, entre as empresas têxteis e de confecção desde o início da década de 90, gerou a procura inédita pelo profissional de moda. Um profissional habilitado a desenvolver croquis, desenhos técnicos, materiais, harmonia de cores, pilotagem, modelagem e o acompanhamento da produção e das vendas tem maiores chances de sucesso no mercado.

O projeto de produto de moda mais interessante é aquele que exige inovações de fato, isso significa criar diferenças entre esse produto e aquele dos concorrentes.

É necessário conhecer as potencialidades das máquinas e equipamentos da empresa, possibilitando a discussão e a consideração da maioria dos problemas da cadeia produção / comercialização. Com maquinário mais moderno é possível elaborar modelos complicados, do ponto de vista técnico, a um custo baixo, pois o tempo de programação e produção torna-se menor e com menos possibilidades de defeitos. O uso integrado dos sistemas CAD/CAM não aparece nas pequenas empresas, pois se ignora as possíveis aplicações do software, como facilitador na formatação de uma coleção de moda.

Referente à estética de um produto, considerada extremamente importante, a parte visível dos produtos como aparência, estética, cores, embalagens e etiquetas, obriga uma padronização em todo o processo produtivo em todas as peças.

O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) verifica a obrigatoriedade de etiquetas indicando a composição têxtil, embalagens e comercialização de produtos têxteis nacionais e importados, com base no Regulamento Técnico sobre o emprego de Fibras e Produtos Têxteis.

Um acervo sobre a evolução de seus produtos e serviços, funcionam como uma espécie de banco de idéias. Relatório das peças mais vendidas, das cores mais solicitadas ou da discriminação dos modelos por regiões servem como subsídios para coleções posteriores.

É imprescindível um procedimento escrito que defina a metodologia de desenvolvimento de produto usada, pois, se alguma peça da coleção necessitar de modificações durante o processo produtivo, a empresa pode realizar uma pesquisa rápida aos documentos e detectar qual a etapa não está correta.

Pesquisa de tendências de moda é importante. A pessoa que é um bom radar tem instinto, é receptiva a tudo que a cerca, sente no ar o espírito da época. Dentre algumas fontes de informação podemos citar revistas, vitrines, feiras, ruas, lojas de atacado e varejo, cinema, clubes, bureaux, brechós, teatro, museus, galerias, mercados públicos, viagens, internet, televisão e outras.

Conceito de coleção é a idéia básica, a noção de estilo que orienta toda a criação de moda, englobando tendências de moda, as necessidades dos clientes até a imagem da empresa perante o mercado consumidor.

A pesquisa de mercado é ferramenta importantíssima para o desenvolvimento de novos produtos. O mercado dos produtos de vestuário é dividido em dois segmentos:

1. no segmento básico os preços dos produtos são baixos, a distribuição é extensiva e a produção trabalha somente com grandes lotes de produtos,

2. no segmento moda os lotes de produção são pequenos, os preços são altos e a distribuição é seletiva (centros urbanos e canais especializados).

O profissional de criação e desenvolvimento de produto de moda precisa interpretar desafios, agregar valor a produtos e estudar os fluxos de beneficiamento que mais encaixam com as opções de equipamento que a empresa possui.

A estagnação foi um dos problemas que mais afetou as indústrias têxteis e de confecções brasileiras e que se tornou um poço negativo na concorrência gerada pela economia globalizada.

A abertura do mercado para produtos estrangeiros, a velocidade da informação através de novos meios de comunicação (internet, TV a cabo) e o amplo leque de tendências (em função da inversão piramidal da moda) geraram novas opções de produtos do setor.

Desenvolver moda envolve todo um processo que começa na definição de um conceito, gerado a partir da filosofia da empresa, das pesquisas de mercado, das tendências de moda da estação e do uso de técnicas de criatividade. É a observação, a análise e a síntese quantitativas e qualitativas das necessidades e desejos de determinado segmento de mercado. Após a definição do conceito da coleção, inicia-se o planejamento e o desenvolvimento, a partir de itens como estilo, forma, disponibilidade de materiais, cores, custos e infra-estrutura industrial.

Para haver a busca da qualidade, desde o início do projeto do produto de moda, recomenda-se algumas propostas:

• o desenvolvimento de softwares para a criação de moda;

• o uso do sistema integrado CAD/CAM;

• a diferenciação dos produtos, através da diversificação de materiais e do design;

• investimentos em pesquisas de desenvolvimento como fator diferencial;

• a instalação de salas de criação de moda, biblioteca e videoteca técnicas, com a finalidade de suprir as necessidades de informações;

• a criação de laboratórios experimentais como incentivo à criação e ao trabalho de novos profissionais;

• cursos de reciclagem sobre técnicas atuais de administração;

• elaboração de um banco de informações técnicas e de moda;

• convênios possibilitando a troca de informações;

• maior troca de informações sobre novas tecnologias e materiais;

• a criação de um selo de qualidade;

• maiores incentivos financeiros para participarem de eventos e feiras.

O produto de moda caracteriza-se pela renovação constante, a cada troca de estação climática, porém seu processo de elaboração e construção pode demorar até 24 meses.

Comentários