Milon lança terceira fase do Projeto Bem-Estar, com foco nas crianças e no ambiente digital

Imagem
    Iniciativa visa diferentes temas para incentivar o desenvolvimento saudável dos pequenos. Fotos Divulgação   A Milon, marca de vestuário com inspiração europeia especializada no universo infantil, lança a terceira etapa do Projeto Bem-Estar, uma série de vídeos desenvolvidos em parceria com especialistas de diferentes áreas. O conteúdo tem como propósito trazer temas que visam instigar, incentivar e educar pais e responsáveis sobre o desenvolvimento saudável das crianças e, consequentemente, da família. Para esta fase, a marca convida a especialista em marketing digital, Camila Renaux, para explicar como utilizar de forma mais consciente e saudável os meios de comunicação digital e manter os pequenos mais seguros.   Camila Renaux Na série, Camila explica sobre ferramentas digitais e como estimular o pensamento crítico nas crianças por meio dos conteúdos da internet. "Atualmente, isso se torna essencial para que a presença dos pequenos nas redes sociai

Japan House São Paulo aborda streetstyle japonês na exposição "Sutorito Fashion: moda das ruas"

Por meio de registros fotográficos tirados entre as décadas de 1950 e 2020, a exposição apresenta a moda das ruas japonesas, destacando diferentes tendências que refletiram cada época. Fotos: Divulgação



Trazendo destaque para a moda de rua do Japão, a Japan House São Paulo traz a exposição "Sutorīto Fashion: moda das ruas", que apresenta as tendências de moda desde a década de 1950 até os dias atuais por meio de mais de 100 registros fotográficos. Com entrada gratuita, a mostra acontece de 25 de junho a 20 de outubro, no térreo da instituição. Assim como "Efeito Japão: moda em 15 atos" (em cartaz no segundo andar até 1° de setembro), a exposição "Sutorīto Fashion: moda das ruas" é coordenada pelo diretor de moda Souta Yamaguchi.  


A seleção de fotografias analisa por década as mudanças da moda de rua no Japão dos anos 1950 aos anos 2020, abordando diversas tendências internacionais, cinema e música, assim como a contracultura japonesa que surgiu em resposta às mudanças culturais, sociais, políticas e econômicas dessas épocas. 


"Essa exposição faz parte do ciclo de moda que iniciamos em maio deste ano e tem como foco o cotidiano japonês e como as recentes mudanças culturais e sociais afetaram a moda de rua dos jovens. Será uma oportunidade única para entender como cada período foi traduzido, adaptado e refletido nos looks cotidianos, gerando uma identidade muito particular, criativa e inovadora.", comenta a Diretora Cultural da JHSP, Natasha Barzaghi Geenen. 


A passagem histórica da exposição tem início na década de 1950, em um contexto pós-guerra. Nesse período de recuperação e reconstrução após a Segunda Guerra Mundial, referências internacionais da alta costura e o cinema japonês servem como inspiração, além de estilos como o rockabilly. Foi um período de aumento no consumo de roupas com a difusão de peças prêt-à-porter e o avanço na qualidade de fibras sintéticas. Na década de 1960, o ambiente doméstico japonês se modernizou e a influência de tendências internacionais na moda jovem, como o uso da minissaia e de calças pantalonas tornou-se popular no Japão. Nos anos 70, os primeiros estilistas japoneses despontam nas passarelas internacionais, ao mesmo tempo em que os movimentos de contracultura no Japão são acompanhados pelo mais conservador "nyuutora" (abreviação japonesa do termo em inglês New Traditional) adotado por estudantes, com saias até os joelhos.  


Créditos ACROSS by PARCO CO., LTD Créditos Revista FRUiTS


A década de 1980, o momento de aumento do poder econômico permitiu um gasto maior de jovens e adultos em itens da moda, inclusive artigos de luxo. Foi o auge da popularidade das DC Brands (abreviação de Designer's & Character's), nome dado às marcas fundadas por designers renomados. As revistas de moda e lifestyle também eram essenciais em ditar tendências vistas nas ruas e o estilo "shibuya casual", baseado no "amekaji" (abreviação japonesa do termo em inglês American Casual) tornou-se popular especialmente entre os estudantes. Já nos anos 90, surgiram várias culturas, subdividindo os estilos. A moda que mais impactou as gerações posteriores foi a "ura-harajuku" (estilo que surgiu quando lojas de designers famosos foram abertas no bairro de Harajuku), onde as marcas que herdaram o contexto da cultura de rua, como skatistas e DJs, criaram um grande movimento. Por outro lado, no bairro de Shibuya, que continuava sendo o centro da cultura jovem, surgiram as "kogal", que desencadeou uma tendência da moda baseada na combinação de saias de uniforme escolar com bainhas curtas e meias até a altura da panturrilha, criando uma cultura singular que deu início ao boom das "colegiais". 


A década de 2000 é marcada pelo surgimento de várias redes de fast fashion internacionais no Japão. Os estilos ficaram mais globalizados em conjunto com a popularização da internet. Nos anos 2010, impactados pelo Grande Terremoto do Leste do Japão de 2011, jovens japoneses passaram a buscar um estilo mais simples e sustentável, fazendo com que a moda contemporânea priorizasse o conforto e um caimento solto das roupas.


Em complemento à evolução década a década, a exposição apresenta também uma coletânea de 25 fotos retiradas da Revista FRUiTS, uma das plataformas mais influentes de documentação acerca do streetstyle japonês entre os anos 1997 e 2017, quando teve sua última publicação. A revista foi responsável por registrar como os jovens, que resistiam aos padrões de estilo da época, se vestiam na região de Harajuku, no distrito de Shibuya, em Tóquio, local que viria a ser conhecido como um dos principais centros de cultura jovem do país, marcando toda uma geração. Até hoje, a criatividade e a espontaneidade desse movimento inspiram designers e amantes da moda do mundo todo.  


Créditos Revista FRUiTS

 

De forma a estender a experiência do público para além da exposição, a JHSP promoverá atividades paralelas durante todo o período expositivo, como visitas mediadas, seminários, workshops e bate-papos com especialistas. Dentro do programa JHSP Acessível, a exposição "Sutorīto Fashion: moda das ruas" ainda conta com recursos de audiodescrição e vídeo libras. Esta exposição é realizada em cooperação com a "ACROSS" by PARCO CO., LTD. - mídia que pesquisa a cultura jovem e a moda de Tóquio - e a Revista FRUiTS, publicação que documentou a moda de rua japonesa. 



Serviço: 
Exposição "Sutorīto Fashion: moda das ruas" 
Coordenador: Souta Yamaguchi 
Colaboração: "ACROSS" by PARCO CO., LTD. e FRUiTS Magazine  
Período: 25 de junho a 20 de outubro de 2024 
Local: Japan House São Paulo, térreo - Avenida Paulista, 52, São Paulo/SP  
Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 18h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 19h. 
Entrada gratuita. Reservas online antecipadas (opcionais) no site. 



SIGA 
ORESUMODAMODA NAS REDES SOCIAIS:







📲 CLIQUE AQUI E ANUNCIE !


VEJA TAMBÉM:

CURIOSIDADES: Viralizou! Conheça Rayssa Buq, fenômeno das redes sociais

Bruna Linzmeyer nua em Gabriela

Geová Rodrigues lança coleção cápsula em pop-up em São Paulo

FuturePrint, Brother e Instituto Focus Têxtil firmam parceria para projeto de capacitação em design e estampas

Na onda do tenniscore: cerveja oficial de Wimbledon, Stella Artois lança jaqueta exclusiva com a DOD Alfaiataria

Cipatex lança coleção Enigma no Inspiramais

Como usar calça pantalona em qualquer ocasião?

Oakley lança coleção de óculos inspirada nos desafios e superações de atletas

Chegou! Enjoei inaugura segunda loja física em São Paulo com curadoria especial de marcas e peças únicas a R$ 50

AZZAS 2154, o maior Grupo de moda da América Latina, anuncia formação de novo conselho de administração