MODA: Lojas Renner investe tecnologia 3D para produzir manequins pioneiros no mercado

Em parceria com a MYM, a Companhia vai desenvolver manequins físicos projetados a partir do escaneamento de corpos reais

A Lojas Renner S.A. está em constante melhoria e aperfeiçoamento de seus processos, produtos e serviços. Com relação à modelagem de suas roupas não é diferente. Depois de um trabalho intenso para desenvolver uma tabela de tamanhos que leva em conta mais de quarenta medidas e não apenas as primárias, como busto, cintura e quadril, a Companhia, desta vez, lança mão de inovação e tecnologia 3D para desenvolver manequins físicos projetados a partir do escaneamento de corpos reais. O objetivo é entregar aos clientes peças mais ergonômicas e fiéis ao biotipo dos brasileiros e brasileiras.

Este projeto é uma das entregas do hub de moda digital criado pela Lojas Renner e formado por um time multidisciplinar, com o objetivo de aprimorar a experiência do consumidor através da tecnologia 3D, transformando e preparando o negócio para o futuro. Já o desenvolvimento do manequim é fruto de uma parceria entre varejista e a MYM, empresa pioneira na reprodução de manequins de corpos reais, através do escaneamento 3D.

A iniciativa já está em fase de testes com um manequim piloto projetado para a Ashua Curve & Plus Size, marca da Lojas Renner S.A. A partir do uso exaustivo pelo time interno e fornecedores, e dos ajustes realizados, serão fabricados, de maneira inédita, outros 14 padrões de manequins físicos, todos projetados a partir do escaneamento corporal digital e com variações de tamanhos que vão do infantil até o plus size. Neste primeiro momento, a iniciativa irá contribuir para uma modelagem mais assertiva das marcas Renner, contemplando todas as linhas de produtos, do infantil ao adulto, feminino e masculino, e Ashua.

Para produzir um manequim que representa a cópia fiel de um corpo humano, foi necessário utilizar corpos reais como modelos. A partir daí, a tecnologia fez a sua parte: por meio de sensores de infravermelho foi possível capturar a topografia do corpo (escaneamento corporal), gerar um arquivo virtual e, com software de design gráfico, criar um manequim 3D, cujas medidas foram ajustadas de acordo com a tabela de tamanhos que a Renner já utiliza e que está em consonância com a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

"Estamos numa jornada contínua para aperfeiçoar nossos processos e desenvolver uma moda inclusiva. Embora já tivéssemos a padronização de tamanhos, percebemos que poderíamos ser mais assertivos oferecendo uma modelagem mais adequada ao perfil dos nossos clientes. Nesse sentido, usamos a moda digital para valorizar ainda mais a diversidade, sendo a primeira Companhia brasileira a investir em tecnologia 3D e na criação de manequins físicos mais reais", afirma Fernanda Feijó, diretora de estilo da Lojas Renner S.A. Segundo Fernanda, este processo de digitalização de corpos também possibilita a criação de "avatares", ou manequins digitais, que podem ser utilizados para a criação de roupas no ambiente virtual.

A iniciativa integra o conjunto de ações que a Companhia vem desenvolvendo dentro do seu processo de transformação digital que, desde 2020, ganhou ainda mais tração. Ao longo do último ano, várias ações avançaram substancialmente e se materializaram com foco no aprimoramento da experiência de compra dos clientes e na evolução do ecossistema de moda e lifestyle da Lojas Renner S.A.




Crédito: Divulgação
Crédito: Divulgação


Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos Pais: tênis da Marvel Comics para adultos e crianças

MODA: Mariana Rios solta a voz em evento da Colcci

MODA: Paloma Bernardi na campanha de Verão 2015 da Max Glamm