DESTAQUE

GASTRONOMIA: Cerveja Blumenau é eleita a Cervejaria do Ano no Brasil Beer Cup com 23 medalhas

Imagem
Foram seis ouros, 13 pratas e quatro bronzes. Cerimônia aconteceu na noite de sexta-feira (26) A Cerveja Blumenau é a Cervejaria do Ano na categoria grande porte no Brasil Beer Cup 2021. A divulgação do resultado do concurso aconteceu na noite de sexta-feira (26), em Florianópolis (SC). A marca conquistou 23 medalhas, sendo seis de ouro, 13 de prata e quatro de bronze.   As três linhas de produto foram premiadas. Na Mestres do Tempo, que celebra bebidas maturadas em barris na adega da cervejaria, foram nove medalhas, sendo três de ouro: Mestres do Tempo Lambic #1 (no estilo Belgian-Style Lambic), Mestres do Tempo Gueuze #1 (no estilo Belgian-Style Gueuze) e Mestres do Tempo Maracujá Negro (no estilo Mixed-Culture Brett Beer).  A Macuca Imperial Stout levou o ouro no estilo British-Style Imperial Stout e teve quatro edições especiais também premiadas: prata com Tropicalente (no estilo Chilli Pepper Beer) e Pé-de-Moleque (no estilo Field Beer) e bronze com a Bala de Coco (no es

ENTRETENIMENTO: Japan House São Paulo traz Takesada Matsutani ao Brasil

Em parceria com a galeria Bergamin & Gomide, serão apresentadas duas obras e duas performances do artista no centro cultural, de 06 a 11 de março. Foto: Divulgação

A JAPAN HOUSE São Paulo recebe um dos grandes nomes da arte japonesa do pós-guerra, o artista contemporâneo Takesada Matsutani. Pela primeira vez no Brasil, a exposição contará com duas obras e duas performances, de 06 a 11 de março, paralelamente à exibição que estará vigente na galeria Bergamin & Gomide.

Reconhecido como um criador de vanguarda, Matsutani tem como principal material a cola de vinil (espécie de adesivo de contato com aderência rápida e flexibilidade após a secagem). Na JAPAN HOUSE São Paulo, estarão as peças: Stream São Paulo, 1995 (Adesivo vinílico, grafite, tinta sumi e papel montado sobre tela – 91 x 335 cm) e Project-2, 2015 (Grafite e tinta sumi sobre papel – 61 x 81 cm). No dia 05 de março, o artista realizará a performance Ichi e a evolução deste trabalho poderá ser acompanhada pelo público durante toda a semana, a partir do dia 06 de março. No dia 11, o artista realizará a performance Action São Paulo, que poderá ser seguida pelos visitantes. Esta ação é parte da Paulista Cultural, iniciativa que prevê uma programação especial em diversas instituições da Avenida Paulista, como Casa das Rosas, Centro Cultural Fiesp, Instituto Moreira Salles, Itaú Cultural e MASP, além da JAPAN HOUSE São Paulo.

Nascido em Osaka no ano de 1937, fez parte de um dos coletivos artísticos mais inovadores e influentes do Japão, o Gutai, a partir da década de 1960 até se mudar para Paris em 1966, após ganhar o primeiro lugar do 1º Concurso de Arte Mainichi, conquistando uma bolsa do governo francês. Seu trabalho pode ser visto em importantes instituições públicas, como o Museu de Arte Moderna de Paris, o Museu de Arte Moderna de Tóquio e o Museu de Arte de Ashiya no Japão.

Ainda em atividade, é um dos maiores artistas de sua geração e continua a demonstrar o espírito Gutai ao transmitir a reciprocidade entre o gesto puro e a matéria-prima. Em 2017, fez parte da 57ª Edição da Bienal de Veneza Viva Arte Viva com curadoria de Christine Macel.

A exposição na Bergamin & Gomide ocorrerá de 03 de março a 20 de abril e abrigará trabalhos com grafite, cola de vinil, colagem e acrílico, entre outros materiais, tendo como suporte o papel, a tela e a madeira.


TAKESADA MATSUTANI NA JAPAN HOUSE SÃO PAULO

De 06 a 11 de março de 2018
Horário de funcionamento: 
Terça-feira a Sábado: das 10h às 22h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita
Confira a programação no www.facebook.com/JapanHouseSP/


Sobre a JAPAN HOUSE São Paulo

A JAPAN HOUSE São Paulo é uma instituição dedicada a mostrar o melhor do Japão do século 21. Inaugurada em maio de 2017, foi a primeira a abrir as portas no mundo, seguida por Los Angeles (soft opening em dezembro de 2017) e Londres (será inaugurada no primeiro semestre de 2018). Desde sua abertura, o público brasileiro vem sendo convidado a ter uma experiência genuína e única dos modos de viver do Japão contemporâneo. A JAPAN HOUSE São Paulo promove, em seus três andares, exposições, seminários, workshops e atividades que trazem ao Brasil os mais relevantes criadores e empreendedores japoneses da atualidade nas artes, no design, na moda, na gastronomia, na ciência e na tecnologia.


Sobre a Bergamin & Gomide

Criada em 2000 em São Paulo, por Jones Bergamin, a galeria Bergamin ficava numa casa da década de 1950 do arquiteto Vilanova Artigas nos Jardins. A exposição inaugural foi uma retrospectiva do artista Iberê Camargo e, entre 2001 e 2005, André Millan (que atuava como sócio) organizou exposições de Mira Schendel, Lygia Pape, Tunga e Miguel Rio Branco. Neste período, a galeria também convidou curadores a desenvolver projetos, como "Através" de Lisette Lagnado que trouxe a público "Tteia", obra icônica de Lygia Pape – hoje permanentemente exposta em Inhotim. Foram realizadas também exposições individuais de artistas como José Resende, Aluísio Carvão, Alair Gomes e Milton Dacosta e coletivas tais quais "Arte Cinética", "Os Modernistas", "As Bienais" e "Nus", em parceria com a galeria Fortes Vilaça.

Em 2012, Antonia Bergamin, filha de Jones Bergamin, assumiu a direção da galeria junto com Thiago Gomide. Os sócios então definiram um novo perfil: com foco em vendas privadas de artistas brasileiros e estrangeiros do período Pós-Guerra a Bergamin & Gomide inaugurou seu novo espaço na rua Oscar Freire, em agosto de 2013.
Sem uma lista fixa, a galeria tem flexibilidade para trabalhar com um amplo número de artistas, sejam eles consagrados ou jovens, brasileiros ou estrangeiros. Essa liberdade também permite a organização de exposições que abrangem diferentes temas, períodos e movimentos. O programa conta com quatro exposições por ano, entre individuais e coletivas: "E você nem imagina que Epaminondas sou eu", com obras de Amadeo Luciano Lorenzato e curadoria de Rivane Neuenschwander e Alexandre da Cunha (2014), a coletiva "Atributos do Silêncio" com curadoria de Felipe Scovino (2015), "BEUYS" que apresentou esculturas, desenhos, papéis e vídeos, incluindo os clássicos "Felt Suit", "I like America and America likes me" (2016), na primeira exposição individual do artista alemão em galeria no Brasil e Fabio Mauri (Senza Arte), exposição dedicada ao artista italiano (2017).

Além disso a Bergamin & Gomide participa de feiras nacionais e internacionais como Art Basel, TEFAF NY Spring, , Art Basel Miami Beach, Semana de Arte e SP-Arte e desenvolve parcerias com importantes galerias estrangeiras.











Por @marcosgomesbr

QUER VER SEU NEGÓCIO DIVULGADO AQUI TAMBÉM ?