A MODA E O CINEMA: Figurinos criados por grandes estilistas.



 Ao longo da história da moda, muitos foram os estilistas que assumiram papel de figurinistas, assinando looks de filmes, balés, entre outros. Versace, em parceria com Maurice Bejart, assinou o figurino de 12 balés, de 1984 a 1997. Já Giorgio Armani, fez sua primeira e memorável atuação como figurinista no cinema, vestindo Richard Gere para o filme Um Gigolô Americano.


 Armani também assinou o guarda-roupa do filme Os Intocáveis, de Brian de Palma. A amplidão do corte dos ternos, silhueta típica da década de 1940, foi registrada magistralmente no figurino criado pelo estilista italiano. As roupas utilizadas por Robert De Niro nesse filme, ao qual interpretou Al Capone segundo o site Adorocinema (2008), são cópias idênticas das roupas verdadeiras que o gângster usava quando estava vivo. Giorgio Armani ficou responsável pelo figurino de Treze homens e um novo segredo, em parceria com o figurinista Louise Frogley.


 Jean Paul Gaultier criou também o figurino de muitos filmes como O Quinto Elemento junto com Versace. Criou o figurino de Kika, de Pedro Almodóvar; e O Cozinheiro, o ladrão, sua mulher e o amante, de Peter Greenaway. Além dos filmes, Jean Paul Gaultier assinou também a turnê Blond Ambition Tour, da diva Madonna, que consagrou o famoso sutiã em formato cônico.


 Ralph Lauren criou todo o guarda-roupa masculino de O Grande Catsby, com o ator Robert Redford como astro principal. Segundo Assis (2008), o estilista também foi o responsável pelo figurino irreverente que a atriz Diane Keaton usou no filme Noivo neurótico, noiva nervosa, de Woody Allen. Com suas roupas de alfaiate desestruturadas e amplas e o visual masculino, a personagem de Diane Keaton acabou contagiando uma legião de adeptas.


 Outro filme muito comentado pelo seu figurino foi Maria Antonieta, de Sofia Coppola. O filme conta, de forma bastante inusitada a história da princesa austríaca que foi mandada para a França aos quinze anos para se casar com o futuro rei. A personagem foi para a história uma mulher fútil e irresponsável, capaz de gastar fortunas em roupas e acessórios – talvez a primeira vítima da moda que se tenha notícia. Novamente o figurino foi assinado por vários estilistas famosos, como Karl Lagerfeld, John Galiano e Christian Dior, todos orquestrados pela estilista/figurinista italiana Milena Canonero. O filme recebeu o Oscar 2007 de melhor figurino e também teve indicação no mesmo quesito ao BAFTA (British Academy Of Film and Television Arts).


A seguir pode-se ver alguns estilistas e os figurinos dos filmes por eles criados:

ESTILISTA FILME / DIRETOR / ANO

Coco Chanel:
- A Regra do Jogo, de Jean Renoir (1939);
- Ano passado em Marienbad, de Alain Resnais (1961).

Christian Dior:
- Pavor nos Bastidores, de Alfred Hitchcock (1950);
- Quando a mulher erra, de Vittorio De Sica (1953).

Ralph Lauren:
- O Grande Gatsby, de Jack Clayton (1974);
- Noivo Neurótico, Noiva Nervosa, de Woody Allen (1977).

Hubert de Givenchy:
- Sabrina, de Billy Wilder (1954);
- Cinderela em Paris, de Stanley Donen (1957);
- Amor na Tarde, de Billy Wilder (1957);
- Bom dia tristeza, de Otto Preminger (1958);
- Bonequinha de Luxo, de Blake Edwards (1961);
- Charada, de Stanley Donen (1963);
- Quando Paris alucina, de Richard Quine (1964);
- Como roubar um milhão de dólares, de William Wyler (1966).

Yves Saint Laurent:
- A Pantera Cor de Rosa, de Blake Edwards (1964);
- A Bela da Tarde, de Luis Buñel (1967);
- Fome de Viver, de Tony Scott (1983);
- Linda demais para você, de Bertrand Blier (1989).

Yohji Yamamoto:
- Brother, de Takeshi Kitano (2000);
- Dolls, de Takeshi Kitano (2002);
- Zatoichi, de Takeshi Kitano (2003);

Giorgio Armani:
- Gigolô Americano, de Paul Schrader (1980);
- Ruas de Fogo, de Walter Hill (1984);
- Os Intocáveis, de Brian de Palma(1987);
- Prêt-à-porter, de Robert Altman (1994);
- As dua faces de um crime, de Gregory Hoblit (1995);
- Beleza Roubada, de Bernardo Bertolucci (1996);
- Shaft, de John Singleton (2000).

Jean Paul Gaultier:
- O cozinheiro, o ladrão, sua mulher e o amante, de Peter Greenaway (1989);
- Kika, de Pedro Almodóvar (2004);
- A Má Educação, de Pedro Almodóvar (2004);
- Prêt-à-porter, de Robert Altman (1994); em parceria com Armani;
- Ladrão dos Sonhos, de Jean Pierre Jeunet (1995);
- O Quinto Elemento, de Luc Besson (1997).

Clodovil:
- O Corpo Ardente, de Walter Hugo Khouri (1967).

Ocimar Versolato:
- Tieta do Agreste, de Cacá Diegues (1996).

Lino Villaventura:
- Xuxa e os Duendes, de Rogério Gomes e Sérgio de Almeida (2001).

 O cinema brasileiro não chegou a ditar moda, mas alguns estilistas criaram para alguns filmes. O primeiro filme nacional com figurino assinado foi Moral em Concordata, de 1959, que mostrava para o público o trabalho de estilista Dener Pamplona. Para o filme Dener criou saias volumosas e acinturadas para uma corista de boate.


 A estilista Zuzu Angel, que até já virou tema de filme, teve seus dias de figurinista em O Quarto, de 1968, do diretor Rubem Biafóra. Em 1996, o estilista Ocimar Versolato fazia parte do seleto grupo da alta-costura quando aceitou vestir Tieta, personagem de Sônia Braga no filme homônimo dirigido por Cacá Diegues.


Comentários