SISTEMA DA MODA: o projeto final.


 Um projeto de design de moda destinado ao vestuário apresenta complexos sistemas interconectado e sua articulação conceitual concentra-se, basicamente, na pesquisa temática desenvolvida pelo designer.
 Porém, antes de iniciar este estágio, toda a cadeia produtiva se organiza para disponibilizar as cores e os tecidos aos designers e à indústria de confecção.

 A partir destas informações, o projeto de design de moda direcionado para a confecção do vestuário inicia o plano, a configuração e a estrutura de uma série de peças de roupas que formarão o conjunto de uma coleção. O design de moda utiliza do termo design, que tem sua origem na palavra inglesa, “se refere tanto à idéia de plano, desígnio, intenção quanto à de configuração, arranjo e estrutura”.

 As interconexões vão além das ligações operacionais necessárias para a realização de um projeto de design de moda. Elas revelam aspectos objetivos, embora permeados e validados por condições subjetivas naturais em um projeto. Sem o devido conhecimento da objetividade das operações e suas várias conexões, o trabalho não se realiza.

3ª Etapa no desenvolvimento de coleção do vestuário:
  • Criação e ficha técnica
  • Modelagem Pilotagem Prova de roupa
  • Beneficiamento
  • Ajustes de modelagem
  • Aprovação

 Pesquisar a prática exercida por uma boa parte das indústrias de confecção é ainda um grande desafio para entender e aprofundar os conhecimentos no campo da moda. Resultados de estudos na área apontam aproximações entre o design de moda e outros campos do design como, por exemplo, o de produtos, o gráfico e o digital. É possível estabelecer um entendimento teórico do funcionamento das operações dentro de um projeto no campo da moda. Esta compreensão contribui para a realização prática dando conta da observação dos processos e, por conta disso, redireciona-os, adapta-os e inova-os. A prática, por sua vez, contribui para o entendimento teórico e para a formação de uma área de conhecimento.

 Conforme aponta Bonsiepe (BONSIEPE, Gui. Design: do material ao digital. Florianópolis: FIESC/IEL, 1997): “A teoria é tão diferenciada quanto à prática que ela reflete. Como se sabe, a prática projetual é complexa, altamente complexa, e pouco compreendida até o momento. Se não fosse assim, a teoria seria supérflua”.

 Destrinchar a metodologia de projeto no design de moda não é tarefa simples. A organização das operações, com intenção de projeto, tampouco é adotada em boa parte das empresas brasileiras destinadas a confecção do vestuário. O surgimento das escolas superiores de moda, a partir do final da década de 1980, ajudou a difundir o conceito de design de moda nessas mesmas empresas, nos últimos anos. O ensino reuniu profissionais atuantes no mercado de moda e teóricos. Este ambiente favoreceu debates sobre o mercado, a profissão, a atuação de um profissional de criação, a natureza desta atividade e, eventualmente, a estruturação de um campo de estudo e pesquisa em moda. Hoje, diversas áreas do conhecimento como história, psicologia, antropologia, semiótica, comunicação e engenharia de produção investigam a indústria da moda. Inevitavelmente, algumas pesquisas despontam também na área do design. Assim, a partir do conhecimento e da reflexão produzidas neste contexto, é possível perceber mudanças na maneira de fazer e de definir um projeto de design de moda.

Comentários