MODA: Melissa estreia no metaverso com lançamento de NFTs

Iniciativa garantirá experiências reais aos usuários e terá compensação de carbono e redução do impacto ambiental com a parceria da startup One Percent

O metaverso chegou com tudo no segmento dos negócios e da moda, permitindo criar infinitas possibilidades de realidade virtual. A Melissa, que não poderia ficar de fora, chega em abril ao universo das NFTs, sigla em inglês para "tokens não-fungíveis", com versões limitadas de clássicos e grandes sucessos da marca como ativos digitais. Os tokens serão divididos em 4 categorias: rara, épica, mística e lendária, com produtos nos modelos Flox, Stellar, Beach Slide, Flip Flop Free e Possession. Cada uma delas vai proporcionar benefícios exclusivos para serem usados no ambiente físico, como cupons de descontos, prioridades na compra de NFTs, produtos físicos exclusivos e visitas imersivas ao universo Melissa. Os ativos digitais estão disponíveis no site .

 

 

"A Melissa é uma das marcas brasileiras pioneiras a levar o público feminino à Web3. Para que essa experiência seja extraordinária, transcendemos esse universo digital e adicionamos benefícios reais à essas aquisições", ressalta Raquel Scherer, Gerente Geral da marca. A parceria se deu através da startup One Percent, líder em tecnologia blockchain na América Latina.

 

O diretor-geral da marca Melissa, Paulo Pedó, endossa a novidade feita em conjunto com o laboratório de inovação da Grendene. "O Bergamotta Labs e a Melissa, através desse projeto, uniram forças para reforçar ainda mais os pilares da marca associados à moda, arte e design em inovação que utiliza a tecnologia como ferramenta de conexão emocional entre a marca, seus fãs, usuários ou simplesmente simpatizantes".

 

Os tokens poderão ser adquiridos por meio de pagamentos por cartão de crédito, PIX e, no futuro, poderão ser negociados no mercado secundário, tornando o ativo ainda mais interessante para os compradores ingressarem em iniciativas com características da chamada web3, como a transparência, segurança e oportunidades de novos tipos de relacionamento com as marcas.

 

Quem comprar os NFTs passa a ter a propriedade original de uma peça digital e diversos benefícios relacionados à marca. E a transparência pode ser validada com o acesso aos metadados, ou seja, as informações que descrevem o que esse ativo digital está representando ficarão armazenadas em IPFS: um serviço que permite ao proprietário acessar o NFT estando conectado à internet ou não e não podem ser modificados sem que haja uma nova transação de venda.

 

Uma preocupação com os ativos digitais foi o meio ambiente. Por isso, haverá a compensação da pegada de carbono dessas operações pela Moss, climatech parceira da One Percent que atua no mercado de crédito de carbono.

 


Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos Pais: tênis da Marvel Comics para adultos e crianças

MODA: Mariana Rios solta a voz em evento da Colcci

MODA: Paloma Bernardi na campanha de Verão 2015 da Max Glamm