DESTAQUE

BELEZA: V3A realiza live shop para L'Óreal com Juliette, Mônica Martelli e Luísa Brasil

Imagem
Evento que acontecerá em São Paulo, em 09 de dezembro, encerra um calendário de mais de 250 ações realizadas pela V3A para a L'Oréal ao longo de 2021 Show da Malia na Live Shop YSL - realização V3A Selando uma parceria marcada pela entrega de ativações e projetos de impacto, a V3A foi a vencedora da concorrência da última live shop deste ano para a Lancôme, marca do portifólio da L'Oréal Luxo. O evento, que acontecerá em São Paulo, contará com quatro diferentes cenários, terá transmissão pelo canal oficial do "Meu Mundo Lancôme" e contará com a apresentação de personalidades como Juliette, Mônica Martelli e Luísa Brasil, além, das influenciadoras do squad da marca. A live será realizada na próxima quinta-feira (09/12), das 19h às 20h. Com esta parceria de sucesso, ao longo de 2021, a V3A realizou mais de 250 projetos e ações para todas as 4 divisões da L'Oréal, incluindo o Centro de Pesquisa - Innova. Esta marca imp

TURISMO: Reabertura da Capela Santa Luzia marca primeira etapa de abertura do Complexo Cidade Matarazzo



A Capela Santa Luzia, pequena igreja centenária localizada a uma quadra da Avenida Paulista, reabre suas portas. Com ela renasce um patrimônio histórico que guarda a memória do crescimento da cidade e da imigração italiana no Brasil no início do século XX. A Capela se insere no complexo do Cidade Matarazzo, um novo símbolo arquitetônico e paisagístico da cidade de São Paulo. O cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, celebrou a missa de reabertura da capela centenária, abandonada por mais de 20 anos. 

Com o primeiro edifício datado de 1904, o antigo Hospital Umberto Primo, conhecido como Hospital Matarazzo, abrange uma área de 27.419 m² e funcionou até 1993, quando fechou portas. Permaneceu abandonado por cerca de 20 anos, tempo em que correu o risco de ser completamente demolido, para dar lugar a mais arranha-céus. 

O antigo hospital ganhou um novo destino quando foi adquirido pelo Grupo Allard em 2011, para se tornar o complexo Cidade Matarazzo, que, como define seu idealizador, o empresário francês Alexandre Allard, trata-se "do maior projeto de reciclagem urbana no país, um lugar de experiências para construção de uma nova humanidade." O projeto reunirá hospitalidade, cultura, moda, gastronomia e bem-estar com foco na regeneração da natureza. 

Tombado em 1986 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat), o complexo também abriga o maior parque privado no coração da cidade. 

A primeira fase do Cidade Matarazzo será marcada pela reabertura da centenária Capela Santa Luzia, que integra o complexo hoteleiro Rosewood São Paulo. Até o fim deste ano, assistiremos ainda à abertura do tão aguardado hotel Rosewood São Paulo que dará nova vida ao antigo edifício da Maternidade Condessa Filomena Matarazzo (1943). 

Engenharia complexa 

O templo passou por um minucioso processo de restauro. Entre os 10 edifícios tombados do complexo, a capela tinha o nível mais alto de proteção. Por isso, seu restauro exigiu o máximo de fidelidade às características originais. Antes disso, foi necessário um audacioso trabalho de engenharia para preservar a igreja centenária durante a construção dos oito andares de subsolo abaixo de sua fundação. 

A capela ficou literalmente suspensa sobre o grande vão, que hoje abriga um centro de eventos, um cinema, entre outros. Esse trabalho inédito no Brasil envolveu alguns dos mais importantes profissionais do País. 

Restauro 

O restauro da capela, começou pela fachada neoclássica onde camadas de tinta escondiam o seu estado original. No interior o restauro revelou paredes marmoreadas, seguindo a técnica milenar Scagliola, muito usada na Itália na época da construção. O altar de mármore, provavelmente feito fora do Brasil, foi protegido. Durante o trabalho, foram descobertos afrescos originais. Em vez de refazerem as partes danificadas, optou-se por preservar as marcas do tempo, para despertar no público a consciência sobre o valor histórico do templo. 

Também houve restauro de imagens sacras, recolocadas em seus lugares originais, assim como demais objetos sacros. 

Após consultar a planta original da igreja, descobriu-se que havia a previsão da instalação de uma rosácea no alto do coro, que nunca foi concluída. Então, o Cidade Matarazzo obteve a autorização para incluir um elemento contemporâneo no projeto: um vitral concebido pelo artista Vik Muniz. 

O restauro da capela foi realizado com o apoio do Governo Federal, através do Ministério da Cidadania e da Secretária Especial da Cultura da Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e do Programa Municipal de Apoio e Projetos Culturais. Contou com o patrocínio de Atlas Schindler, Leroy Merlin, Chevrolet Serviços Financeiros, Dr. Antonio Hatti e Sra. Nazek Khalil Hatti. 

História 

A capela - cujo projeto foi assinado pelo arquiteto Giovanni Batista Bianchi (1885-1942) - foi construída em 1922 por iniciativa de Dona Virginia Matarazzo, cunhada do industrial italiano Francisco Matarazzo, em honra de Santa Luzia, de quem obteve a graça da cura de uma doença na visão de um de seus filhos. "Onde o corpo enfermo recebe o tratamento fraternal, também a alma pede conforto de esperança e de resignação", está escrito em uma placa fixada na parede do templo, em homenagem à idealizadora de sua construção. 

"O mais importante era preservar a alma do lugar." - explica Alexandre Allard que não mediu esforços para preservar a história. Para o empresário, não faria sentido transformar uma construção erguida para o culto em um espaço que não tivesse essa finalidade. A Capela voltará a receber missas semanais abertas ao público.