BELEZA: Grupo Boticário investe em tecnologia para desenvolver as fragrâncias que mais agradam os brasileiros

Chamado de "Nariz Digital", a área de Pesquisa & Desenvolvimento foi buscar técnica no exterior, em países como França e Suíça, para ganhar qualidade e assertividade no desenvolvimento de novos produtos


Perfumista é uma rara profissão. Com olfato apurado, ele é responsável pelo desenvolvimento de novas essências. Mas, e se fosse possível unir tecnologia e inovação para a criação de uma ferramenta que potencializasse o trabalho de mestres perfumistas, obtendo resultados ainda mais precisos sobre as preferências dos consumidores e entrega de performance destes produtos? O Grupo Boticário inova mais uma vez e implementa a tecnologia - um olfatômetro digital - em sua linha de desenvolvimento de perfumes, tornando o processo mais assertivo.

A área de Pesquisa & Desenvolvimento do Grupo Boticário foi buscar esta técnica no exterior, em países como França e Suíça, que são conhecidos por suas fragrâncias mundialmente. Lá, o 'nariz digital' é utilizado para identificar, por exemplo, quais moléculas compõem os cheiros que uma rosa. Aqui no Brasil, a tecnologia foi adaptada para traduzir em números e dados químicos a percepção sensorial dos consumidores, trazendo um enorme embasamento e entendimento dos produtos do grupo.

"O uso de fragrâncias começou na pré-história, quando o homem aprendeu a dominar o fogo e o utilizou para queimar ervas odoríferas e madeiras para melhorar o sabor dos alimentos. De lá para cá tivemos grandes avanços tanto no desenvolvimento, quanto na avaliação das fragrâncias, mas sempre mantivemos isso muito no sensorial ou então no entendimento químico, sem unir as duas áreas. Com a tecnologia do 'nariz digital' possibilitamos unir esses dois mundos. Agora, conseguimos trazer uma avaliação muito mais robusta e profunda de um produto para atender a demanda e o gosto do consumidor. E essa é uma das nossas características, o Grupo Boticário sempre em busca da união entre tradição e inovação para levar aos clientes brasileiros as fragrâncias que mais os agradam." afirma Juliana Canellas, Diretora de Qualidade e Performance de Produto do GB.

Você sabe como são desenvolvidas novas fragrâncias?

O processo é cuidadoso e detalhista. Entre os diversos testes necessários e realizados, está o de Agradabilidade e Performance com consumidores e avaliadores treinados para garantir que a qualidade e aceitação serão as esperadas pelo consumidor. A avaliação é feita de forma sensorial, de acordo com a percepção de cada avaliador.

A técnica do olfatômetro digital, ou Nariz Digital, entra aqui para objetivar as percepções destes avaliadores, na forma de números e dados químicos. Sua implementação facilita a interpretação da percepção de experiência do consumidor ao novo produto e o papel de cada ingrediente da fragrância, o que torna o processo mais eficiente e, ao mesmo tempo, simples.

A partir do uso dessa tecnologia já foi possível identificar mais de 100 componentes olfativos ecompreender ainda mais o gosto dos brasileiros, atecipando-se às tendências do mercado. Esta tecnologia ainda é capaz de agregar mais agilidade ao processo de desenvolvimento, a previsão é de que desafios de desenvolvimento sejam resolvidos 20% mais rapidamente, aumentando a assertividade e qualidade dos lançamentos das marcas do Grupo.


Postagens mais visitadas deste blog

Dia dos Pais: tênis da Marvel Comics para adultos e crianças

MODA: Mariana Rios solta a voz em evento da Colcci

MODA: Paloma Bernardi na campanha de Verão 2015 da Max Glamm