DESTAQUE

MODA: Bruna Marquezine lança videoclipe para campanha da Colcci

Imagem
Sempre em busca de inovação, a parceria entre Colcci e Bruna Marquezine rendeu resultados surpreendentes e inspiradores. Desta vez, a Colcci convidou a atriz para encarar um novo desafio para sua campanha: tornar-se cantora por um dia. A atriz se jogou no desafio e, como resultado, gravou uma música e videoclipe inéditos. O resultado representa o lifestyle e estilo da label : cheio de atitude e estilo. A nova campanha da marca traz como inspiração o Studio 54, ponto de encontro entre as principais celebridades e artistas do fim dos anos 70. Foi a partir deste tema que surgiu a ideia de transformar a Bruna em uma diva, expressando a vibe da cena underground do lendário clube Nova Yorkino. O videoclipe transita entre diferentes cenários que transpõe a sensualidade, força e ousadia que a atriz representa para a Colcci. Tanto a nova coleção - Colcci Studio Dreamers -, quanto o vídeo são um convite para sair do óbvio e estimular a expressão da criativ

ENTRETENIMENTO: Kell Smith lança o lado B do álbum ‘O Velho e Bom Novo’

Segunda parte do álbum da cantora e compositora apresenta 6 faixas inéditas e conclui obra explorando temas como autoconhecimento, a força da arte, do empoderamento feminino e do amor


Capa de Velho e Bom Novo / Lado B - Foto: Gustavo Arrais / Arte: Beatriz Trentino

Após abordar temas como vulnerabilidade, saúde mental e ressignificação do luto, no lado A de "O Velho e Bom Novo", segundo álbum de sua carreira, lançado em maio de 2020, agora, a cantora e compositora encerra um ciclo lançando as 6 faixas inéditas que compõem o lado B. A obra chega à todas as plataformas digitais, pelo selo Na Moral e está disponível no link: https://bit.ly/LadoBKell

Na jornada durante as canções, todas escritas por Kell, vemos uma artista versátil, não apenas em lírica e potência vocal, mas em temáticas contemporâneas à vida de uma mulher jovem, em franco processo criativo e de autoconhecimento. Mantendo o equilíbrio entre técnicas analógicas e digitais, apresentadas no lado A, vemos no lado B de "O Velho e Bom Novo" uma outra faceta de Kell Smith, mais solar e romântica, mas igualmente engajada, visceral, sensível e despida de qualquer recurso de afinação artificial. É um álbum orgânico, como a própria vida.

Assim como no lado A, a segunda metade de "O Velho e Bom Novo" conta com produção e arranjos do maestro Bruno Alves. Aqui, Kell segue abordando a vida real, sem medo de encarar conflitos e expor feridas. Em cada faixa, a artista transborda sentimentos, vivências, referências literárias e autobiográficas, sempre dialogando com questões urgentes, como o feminismo e o empoderamento da mulher, como na faixa "Princesa", que subverte o lugar comum machista de um conto de fadas.

Mas, antes disso, o lado B se apresenta com "Me Deixe Viver", uma balada ao mesmo tempo romântica e questionadora, que revela, verso após verso, o processo de autoconhecimento.

Em seguida, chegamos à supracitada "Princesa", um manifesto pop, com doses generosas de R&B e nuances latinas, que convulsionam a lógica da fragilidade feminina. A Princesa criada por Kell é forte, dona de si, empoderada e pronta para a luta, a Princesa se salva sozinha sem precisar de ninguém para defendê-la.

O álbum segue em sua pluralidade rítmica, em "Vai Com Alma" flertando com o Ska, gênero musical nascido na Jamaica, marcado pela potência dos metais com trombone, sax e trompete. Com citação à Belchior, sua maior referência como compositor, a canção é um apelo por mais sentimento e intensidade nas relações humanas e na relação com a vida.

Logo depois, somos apresentados à "Poesia", composta em parceria com Bruno Alves, com a suavidade do piano embalando uma declaração de amor cheia de esperança. Já em "Que Seja Com Você", mais uma dobradinha com Bruno Alves, os versos de Kell revelam a esperança de um futuro feliz através de um amor recém descoberto.

O lado B de "O Velho e Bom Novo" se despede com "Nossa Bossa", parceria com o violonista e guitarrista Edson Guidetti, a canção é uma espécie de síntese do álbum que nela se encerra. Um protesto em forma de poesia, uma Bossa de 'quase amor', que reflete os tempos atuais. Aqui, Kell olha para dentro de si, mas também ao redor, revelando de maneira visceral e crítica, sua busca pelo autoconhecimento, força feminina, amor e sobretudo, excelência artística.

Força, aliás, é a palavra que define o Lado B, seja na força do amor, na força pelo direito de amar, da intensidade de viver, do protesto em forma de poesia e a força pelo grito de liberdade.

Todos estes elementos se encontram em perfeita harmonia, em uma bossa que remete à um período de ouro da nossa música, que em "O Velho e Bom Novo" é resgatado não apenas no apuro técnico, mas no talento vibrante de uma cantora e compositora que, mesmo após 12 faixas divididas em 2 lados, seguirá tendo muito a dizer.




Kell Smith - O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais (3)

Kell Smith - O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais

Kell Smith - O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais (4)

Kell Smith - O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais (5)

Capa de O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais / Arte Beatriz Trentino

Kell Smith - O Velho e Bom Novo - Lado B - Foto Gustavo Arrais (2)




Ficha técnica: "O Velho e Bom Novo" - Lado B - Kell Smith
ME DEIXE VIVER
(Kell Smith)
Produzido por: Bruno Alves
Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Cuca Teixeira
Baixo: Fernando Rosa
Violão: Lari Basílio / Edson Guidetti
Piano / Teclados: Bruno Alves
Programações e Percussão: Bruno Alves / Juliano Valle
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: João Milliet
Masterização: João Milliet

PRINCESA
(Kell Smith / Bruno Alves)
Produzido por: Bruno Alves Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Cuca Teixeira
Synth Bass: Bruno Alves
Violão: Edson Guidetti
Piano / Teclados: Bruno Alves
Programações e Percussão: Bruno Alves / Juliano Valle
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: João Milliet
Masterização: João Milliet

VAI COM ALMA
(Kell Smith)
Produzido por: Bruno Alves
Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Cuca Teixeira
Baixo: Bené
Guitarra: Edson Guidetti
Violão: Edson Guidetti
Piano / Teclados: Bruno Alves
Trombone: Bocato
Sax: Denilson Martins
Trompete: Paulinho Viveiro
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: Luis Paulo Serafim "LP"
Masterização: João Milliet

POESIA
(Kell Smith / Bruno Alves)
Produzido por: Bruno Alves
Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Cuca Teixeira
Baixo: Nando Raio
Violão: Lari Basílio / Edson Guidetti
Piano / Teclados: Bruno Alves
Programações e Percussão: Bruno Alves
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: João Milliet
Masterização: João Milliet


QUE SEJA COM VOCÊ
(Kell Smith / Bruno Alves)
Produzido por: Bruno Alves
Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Thiago Big Rabello
Baixo: Marcelo Mariano
Guitarra: Conrado Goys
Piano: Bruno Alves
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: Ricardo Mosca
Masterização: João Millie

NOSSA BOSSA
(Kell Smith / Edson Guidetti)
Produzido por: Bruno Alves
Arranjos: Bruno Alves
Bateria: Cuca Teixeira
Baixo: Marcelo Mariano
Guitarra: Edson Guidetti
Violão: Edson Guidetti
Piano / Teclados: Bruno Alves
Percussão: Felipe Roseno
Trombone: Bocato
Engenheiro de Gravação: Bruno Alves, Nata Sakaki
Assistente de Gravação: Estevão Lyra
Engenheiro de Mixagem: Ricardo Mosca
Masterização: João Milliet








Rua Barão do Flamengo, 22 - 804
Flamengo, Rio de Janeiro, Brasil
T: +55 21 99162-6172
pedro@lupa.inf.br













Postagens mais visitadas deste blog

Estilo Brasileiro, Zuzu Angel misturava seu estilo à temas regionais e folclóricos

Estilo Brasileiro, Valdemar Iódice desenvolve uma moda jovem imprimindo personalidade em sua grife

Estilo Brasileiro, Rose Benedetti foi a precursora da bijuteria no Brasil