MARCAS e ESTILISTAS: Ungaro, estilo francês reconhecido mundialmente.


Emanuel Ungaro (Aix-en-Provence, 1933) é um estilista francês de família italiana, atualmente aposentado.

Grande apaixonado por ópera, esse costureiro no qual algumas pessoas vêem "um mediterrâneo com ares de Werther", classifica seu trabalho como uma batalha permanente: "Eu sou um barroco atrasado".

Filho de um imigrante italiano, na época um modesto alfaiate do Midi da França, ele descobre Paris com a idade de vinte e dois anos. Ele deve a sua formação a um mestre, Cristobal Balenciaga, junto a quem, como costureiro, diz haver aprendido tudo, entre 1958 e 1965. "Eu sonhei apaixonadamente com a alta costura", diz hoje, fiei à veste branca e à barba de poeta. "A alta costura é como a ópera, é um ritual. Ela faz parte dessas grandes missas de sofisticação, elitismo, luxo e refinamento. A costura não se improvisa. Ela está ligada a uma memória, ao artesanato e à excelência de um savoir-faire..." Instalado no início em cinqüenta metros quadrados, junto com sete operárias, ele trabalha hoje no triângulo de ouro parisiense, na avenida Montaigne.


À frente de uma das últimas maisons de costura independentes, ele conta com 90 operárias para realizar seus vestidos. Em 1995, comemorou um quarto de século de costura. Ele se lembra: "Hoje todo mundo quer ser artista... Eu, depois que as operárias iam embora, varria o local, com vergonha de que soubessem que era eu mesmo quem fazia a limpeza..." Rico, florido, sensual, seu estilo é declinado através de toda uma paleta de marcas, das quais uma linha de prêt-à-porter, a "Parallèle", amplamente comercializada, sucesso que não o impede de perseguir suas quimeras "Apreender o inapreensível que me faz um gesto amigável e parte em direção desconhecida".

Apesar do nome italiano, Emanuel Ungaro nasceu em 13 de fevereiro de 1933 em Aix-en-Provence. Após fugirem do regime fascista que surgia na Itália, antes do nascimento do seu filho, seus pais se mudaram para a França.


O jovem Emanuel começou a costurar suas primeiras peças com seu pai, alfaiate. Em meados dos anos 50, partiu para Paris e trabalhou com o estilista masculino Camps.

Em 1958, deixou a capital francesa e foi para Barcelona onde aprendeu a profissão ao lado do criador Cristobal Balenciaga . Em menos de dois anos, tornou-se diretor do atelier da marca em Madri.

Em 1961 voltou para Paris e assinou um contrato com a marca Courrèges onde trabalhou como estilista até 1965.


Nesse mesmo ano, Emanuel Ungaro fundou sua própria marca. Três anos mais tarde, lançou sua primeira coleção prêt-à-porter e abriu uma boutique em Paris. O criador ganhou rapidamente uma excelente reputação, vestindo principalmente Jackie Onassis e Liliane Bettencourt.

Em 1980 sua coleção de alta costura ganhou o Dé d'or.

O estilo do costureiro francês foi reconhecido internacionalmente: drapeados trabalhados, estampas coloridas e cores vivas.


Três anos mais tarde, o criador lançou seu primeiro perfume: Diva. Foi um sucesso. Foi o primeiro de uma longa série. Em 1997, Emanuel Ungaro associou-se à Salvatore Ferragamo e Bulgari na Emanuel Ungaro Parfums.

Além de criar coleções de alta costura, não era raro Emanuel Ungaro ser chamado para criar roupas para o cinema.
Em 1996, sua empresa foi comprada pela italiana Ferragamo com o objetivo de desenvolver ainda mais a marca. Depois disso, Emanuel Ungaro se aposentou e decidiu deixar o mundo da moda em 2004.

No ano seguinte, recebeu o título de Cavaleiro da Legião da Honra.

Na vida particular, Emanuel Ungaro casou com Laura Barnabei em 1989. O casal teve uma filha.

Postagens mais visitadas deste blog

MARCAS e ESTILISTAS: Paco Rabanne, o inventor da armadura dos anos 60.