IDADE CONTEMPORÂNEA (Séc. XIX): Império

A sociedade francesa estava dividida em três estados: o clero, a nobreza e o restante da população.


A insatisfação com as diferenças sociais e o excesso de privilégios das classes favorecidas gerou uma revolta popular que culminou com a Tomada e Queda da Bastilha a 14 de julho de 1789, data-marco de todo o processo revolucionário.

A história da humanidade viveu um grande momento de mudanças sociais, o processo foi gradual e deu início a um novo período histórico, a Idade Contemporânea. O século XIX é considerado o maior século da história em caráter ideológico e conceitual.

Podemos dividir a moda em quatro períodos: Império, Romantismo, Era Vitoriana e La Belle Époque.

O Império sob o comando de Napoleão I na França (1804-1815), após a Revolução teve influência Inglesa. As roupas masculinas adquiriram sobriedade, o casaco passou a ser do tipo inglês de caça e o uso de botas tornou-se freqüente, além de golas altas e ostensivos lenços amarrados.

A moda feminina, menos ostensiva e extravagante, foi substituída por um vestido simples à semelhança de uma camisola solta de cintura alta, abaixo do seio, de cor branca, em musseline ou cambraia, com a transparência se fazendo presente. O xale entrou na moda.

Napoleão Bonaparte chegou a proibir a importação de musseline de algodão da Índia com a finalidade de desenvolver a indústria têxtil francesa, especialmente a seda de Lyon.

Na moda masculina mudou com um aspecto de maior conforto, as calças tornaram-se bem parecidas com as que usamos hoje além do avanço técnico da alfaiataria inglesa.

Comentários